Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

E.ON diz que Eneva negocia para evitar multa

A antiga MPX tenta conversar com a Aneel para adequar obrigações no fornecimento de energia da usina, após falhas na Usina Termelétrica Parnaíba II

A empresa de energia alemã E.ON disse que a subsidiária brasileira Eneva, antiga MPX, mantém conversas com reguladores para evitar uma multa por falhas no início das operações da Usina Termelétrica Parnaíba II. As declarações da companhia ocorreram depois da Eneva informar na sexta-feira que iniciou negociações com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para adequar as obrigações de fornecimento de energia da usina.

A Eneva deveria ter iniciado as operações em abril, mas problemas com a infraestrutura de gás em um de seus quatro blocos forçaram a empresa a adiar a transmissão. Uma porta-voz da E.ON, que tem uma fatia de 38% da Eneva, afirmou que a empresa brasileira busca definir a data para o início da entrega de energia aos consumidores e evitar a compra de outras geradoras no Brasil, o que encareceria a operação.

Leia também:

Eneva, ex-MPX, anuncia aumento de capital de até R$ 1,5 bilhão

Credores da ex-OGX aprovam plano de recuperação judicial

Eike pode ser obrigado a aportar US$ 1 bilhão na Óleo e Gás Participações

A E.ON passou a investir em mercados emergentes, como Brasil e Turquia, depois das novas políticas de energia verde na Alemanha. No entanto, investidores têm se preocupado com os investimentos brasileiros. A companhia informou no mês passado que vai investir outros 200 milhões de euros na Eneva para melhorar suas finanças.

(com agência Reuters)