Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cabify lança serviço em táxi preto para mercado corporativo

Os motoristas que trabalharem para a Cabify terão de pagar uma taxa de 10% da corrida para a companhia

Para atender o público que tem pressa para chegar ao destino, a Cabify lança amanhã em São Paulo o serviço de transporte em táxi preto por aplicativo. O maior diferencial dessa modalidade em relação aos motoristas particulares é a possibilidade de o veículo trafegar nos corredores exclusivos de ônibus.

Hoje, a cidade de São Paulo tem cerca de 3.000 motoristas cadastrados na categoria táxi preto. “Não posso dizer quantos deles estarão conosco, mas são alguns milhares. E estamos abertos a todos”, afirma o diretor-geral da Cabify Brasil, Daniel Velazco-Bedoya.

A empresa já testou a operação com táxi preto no ano passado com o público. Agora, o serviço passa a ser ofertado para o segmento corporativo. Segundo Bedoya, os resultados foram positivos e o serviço será relançado de forma ampliada. “A Cabify trabalha em favor da mobilidade. Não atuamos em defesa dessa ou daquela categoria.”

Os motoristas que trabalharem para a Cabify terão de pagar uma taxa de 10% da corrida para a companhia. Esse percentual, afirma Bedoya, está entre os menores cobrados pelas empresas do setor. “Precisamos fazer essa cobrança para cobrir os custos com operação e marketing.”

A vantagem é que eles contarão com o sistema de captação de corridas da Cabify, que direcionará as chamadas para os taxistas mais próximos do passageiro.

Segundo o executivo, o novo serviço deve ser levado para outras capitais do país. “Conversei com prefeitos de outras cidades e apresentei a idade. Não somos concorrentes do táxi, temos soluções para necessidades diferentes de mobilidade.”

A Cabify hoje atua em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Campinas (SP), Santos (SP) e Brasília (DF).

No mês passado, a Cabify fechou com a antes rival Easy uma aliança estratégica para fortalecer operações na América Latina. A expectativa é que a união estratégica dê mais competitividade para as duas empresas enfrentaram a Uber e 99, as maiores do setor na região.

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Acredito que o taxistas não são contra a os trabalhadores pai de família q estão alí pra ganhar seu pão de cada dia. Esses taxistas violentos são a menoria formados por donos de frotas de táxi q monopiliza o serviço a décadas e que explora trabalhadores . Os táxis só beneficia os ricos, e é frustrante pra eles verem os pobres tomando essa fatia do mercado.

    Curtir

  2. Josafa Xavier

    Só taxista idiotas vão cair nessa porque cabify não tem tanto passageiro assim ela simplesmente quer se levantar em cima dos taxista como fez 99 Easy Taxi que não é mais táxi é lamentável os dessa categoria sofrida como escada para subir

    Curtir

  3. Josafa Xavier

    Mais uma empresa querendo se aproveitar da ignorância de alguns de alguns taxistas quando ela conseguiu o mercado que ela quer ela dá um pontapé na bunda de todos desinformados.

    Curtir