Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aplicativos criam uma nova forma de fazer supermercado

Novos serviços permitem que consumidor faça a compra da casa pela internet e use seu tempo livre de forma mais agradável

A forma de fazer compras para a casa está mudando. O consumidor prefere usar o tempo livre em atividades prazerosas ao invés de passar horas empurrando carrinho em supermercado. De olho nessa tendência, crescem os sites e aplicativos que oferecem serviços de entrega de alimentos e outros itens domésticos.

Para Claudio Felisoni, coordenador-geral do Provar (Programa de Administração de Varejo) da FIA (Fundação Instituto de Administração), o consumidor tem muito mais acesso à informação sobre preço hoje, o que o empurra para as compras online, inclusive as de supermercado.

Outro fator que impulsiona a compra online é o desejo de aproveitar melhor o tempo. “As pessoas têm pressa, o tempo está mais valorizado. Elas querem economizar o tempo que perdem com compras recorrentes, como arroz e feijão”, diz Felisoni.

A maior dificuldade do varejo alimentício online, segundo ele, é a distribuição. “O consumidor não quer comprar hoje e receber daqui a três dias.”

De olho na mudança de comportamento surgem empresas que permitem que o consumidor compre pela internet, seja pelo computador ou celular, toda a compra a do mês. Uma delas é o Supermercado Now, que promete entregar produtos frescos, como frutas, verduras e carnes na casa do comprador. Entre os diferenciais da empresa está a possibilidade de escolher como o produto será entregue: a fruta mais madura ou o bife mais fino, por exemplo.

“A gente tem a vantagem dos produtos: são todos frescos, não ficam no caminhão o dia todo. Sai da loja, perto da casa do cliente, direto para a casa dele. Já entregamos até sorvete, produto congelado”, afirma Marco Zolet, CEO da empresa.

A outra vantagem, segundo ele, é a entrega rápida. “As grandes redes levam até 3 dias e não têm uma janela de entrega favorável, tem que escolher entre o período da manhã ou da tarde. A gente consegue entregar em janelas de até 2 horas no mesmo dia ou nas horas disponíveis.”

O segredo está no funcionamento do serviço. O supermercado Now utiliza compradores profissionais para fazer as compras. São pessoas que vão até o supermercado, escolhem os produtos e entregam na casa do cliente.

“A gente localiza o entregador disponível, que a gente chama de shopper, mais próximo do supermercado. Ele recebe o pedido no aplicativo, vai até a loja com a lista de compra e toda as características da compra e entrega no horário combinado”, diz Zolet.

Esses compradores recebem por entrega – a remuneração é a taxa de entrega, que gira em torno de 20 reais. “São profissionais autônomos, pessoas que têm uma parte do dia livre para fazer compras. Meu modelo de ganhar dinheiro é com supermercado e marcas”, diz Zolet.

O supermercado Now investe em parcerias para expandir a área de atuação. O objetivo é chegar a cem bairros por meio de uma aliança com a rede D’Avó.

Planejamento das compras

A HomeRefill funciona como um assistente de compras do consumidor, ajudando-o a se programar para que não falte nada em casa. Como? O cliente monta sua lista de compras, com os produtos e quantidades desejadas, define a data de entrega e de quanto em quanto tempo quer repor esses itens.

“A ideia é construir uma mecânica para as pessoas conseguirem comprar aquilo que é essencial para a casa delas, que elas já sabem que precisam”, diz Guilherme Aere dos Santos, CEO da HomeRefill.

Segundo ele, a empresa não é um supermercado-online, embora permita a compra planejada de produtos. “Configuro uma lista de refil e digo de quanto em quanto tempo quero receber e revisar essa lista. É assim que funciona. A pessoa não precisa se preocupar em sair de casa para comprar aquilo que já sabe que precisa e vai adquirir.”

Essa mudança na relação com a compra tem a ver com a forma como os clientes querem aproveitar seu tempo. “O supermercado tem que se transformar em um lugar para você experimentar novos produtos. O supermercado tradicional continua existindo, mas vai se transformar em um lugar com um melhor sentido de distribuição”, diz Santos.

Felisoni afirma que o supermercado continua existindo, mas pode mudar de formato. “No futuro, pode ser que as redes prefiram formatos menores de loja.”

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. antoniel da silva pinto

    Que tal informar aonde esse serviço funciona?
    Coisas básicas do jornalismo a Veja.com deixa passar. Eu nunca pensei que veria uma decadencia tão grande num grupo jornalistico. Eu até perdoaria se fosse uma noticia urgente, ao qual os editores não tivessem tempo de revisar a noticia. Mas neste tipo de noticia? Lamentável!
    “O supermercado Now investe em parcerias para expandir a área de atuação. O objetivo é chegar a cem bairros por meio de uma aliança com a rede D’Avó.”

    Curtir