Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marco Aurélio é sorteado relator de inquérito contra Aécio no STF

Caberá ao ministro decidir sobre recurso em que a Procuradoria-Geral da República pede a prisão preventiva do senador afastado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello foi sorteado nesta quarta-feira relator do inquérito que investiga o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) com base nas delações premiadas de executivos da JBS. Por decisão do relator da Operação Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, a investigação contra o tucano foi separada do inquérito que corre na Corte contra o presidente Michel Temer e o ex-assessor presidencial Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).

Caberá a Marco Aurélio, como relator, decidir sobre o recurso em que a Procuradoria-Geral da República pede a prisão preventiva de Aécio Neves. No agravo regimental, agora redistribuído ao ministro, a PGR pedia que o então relator, Fachin, revisse a decisão que negou a prisão do tucano e, caso não voltasse atrás, remetesse o pedido de prisão para apreciação “com máxima urgência” pelo plenário do STF. No mesmo recurso, a PGR também pediu novamente a prisão de Rocha Loures, filmado recebendo uma mala com 500.000 reais da JBS.

Assim como Temer e Rocha Loures, Aécio é investigado pelos crimes de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa. O inquérito que apura suspeitas sobre o senador afastado também investiga a irmã de Aécio, Andrea Neves, o primo dele, Frederico Pacheco de Medeiros, e o ex-assessor e cunhado do senador Zeze Perrella, Mendherson Souza Lima. Andrea, Pacheco de Medeiros e Souza Lima foram presos na Operação Patmos, desdobramento das delações da JBS.

Aécio Neves foi gravado por Joesley Batista, dono da JBS e delator, em uma conversa em que pede 2 milhões de reais, que alegadamente seriam destinados ao pagamento de honorários de seu advogado, Alberto Zacharias Toron, na Lava Jato. O senador determinou a Frederico Pacheco de Medeiros a tarefa de pegar o dinheiro. Fred, como é chamado, recebeu o valor fracionado em quatro parcelas de 500.000 reais

A PF filmou três das entregas de dinheiro ao primo de Aécio na sede da empresa, em São Paulo, feitas pelo diretor de relações institucionais da JBS e delator, Ricardo Saud.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ele soltou o goleiro Bruno que matou , esquartejou e escondeu o cadáver…alguém imagina que vai prender o Aécio?…duvido !!!

    Curtir

  2. Sorteado ?? Tá bom. Já sabe que nada vai acontecer para o lixo tucano.

    Curtir

  3. ‘ Estado de Direito ‘, ‘ ditadura ‘, ‘ Constituição ‘, ‘ leis ‘. Meu Deus. O hipócrita gênio jornalista se mandou mais deixou um bocado de lambe botas.

    Curtir

  4. Fabinho Cabelinho

    Piada .ele inocentou o maluco imagina o Aecio brincadeira sem graça esse stf

    Curtir