Blogs e Colunistas

debate

17/10/2014

às 0:47 \ Direto ao Ponto

Pressionada por Aécio no debate do SBT, a presidente que se gabou de resistir a pressões 24 horas por dia perde o rumo no meio da entrevista e culpa a pressão

Na noite de 11 de setembro, sentada no banco de trás do carro que seguia para o hotel no Rio, a repórter da Folha que acompanhava Marina Silva perguntou à candidata o que achara dos ataques que Lula lhe fizera na véspera. Marina, segundo a jornalista, teve de conter o choro enquanto murmurava, com voz embargada, que não pretendia revidar às agressões verbais.

A reação naturalíssima não valia mais que uma nota no pé da página, mas foi noticiada com destaque. E Dilma Rousseff, instruída pelo marqueteiro João Santana, tentou transformar o choro que ninguém viu na prova definitiva de que Marina não estava preparada para governar o país. “Presidente da República sofre pressão 24 horas por dia”, caprichou no dilmês castiço. “Se a pessoa não quer ser pressionada, não quer ser criticada, se não quer que falem dela, não dá para ser presidente da República”.

Nesta quinta-feira, já no começo da entrevista concedida a uma repórter do SBT depois do debate com Aécio Neves, Dilma empacou no meio da palavra inequivoco: “Ineq,.. inequ… inequi…”, rateou o neurônio solitário.  ”Eu não tô… muito… ” Talvez por falta de familiaridade com falatórios em dilmês despejados pela cabeça baldia, a repórter deduziu que a declarante estava se sentindo mal. “A pressão caiu”, agarrou-se a entrevistada à boia que caiu do céu.

Um copo de água com açúcar e alguns minutos numa cadeira bastaram para que tentasse retomar a discurseira inintelível. “Eu tive uma queda de pressão. Acredito que… é óbvio que um debate… ele é sempre … exige muito da gente”. gaguejou. A repórter explicou que, antes da pausa estranhíssima, dissera o suficiente para esgotar o tempo da entrevista. A carranca, o olhar colérico e as palavras rosnadas para a jornalista confirmaram que Dilma estava de volta à normalidade anormal.

Pressionada por Aécio Neves durante o debate que durou 100 minutos, a mulher que se gabou de resistir a 24 horas de pressões por dia confessou que ficou desorientada por causa da pressão. Segundo o parecer que ela própria emitiu para desqualificar Marina Silva, Dilma não tem preparo físico e mental para ser presidente.

Algumas pancadas merecidíssimas são suficientes para afetar-lhe a saúde e mandar para o espaço o equilíbrio psicológico. Fica tão grogue que é nocauteada até por entrevistas de um minuto.

04/09/2014

às 16:02 \ Opinião

‘Sem ter o que prometer’, editorial do Estadão

Publicado no Estadão desta segunda-feira

Entra debate, sai debate, entra entrevista, sai entrevista, e uma coisa não acontece no coração da campanha eleitoral – a presidente Dilma Rousseff dizer ao perplexo eleitor o que ela pretende fazer se as urnas de outubro a mantiverem por mais quatro anos no governo do País. É uma omissão espantosa, por onde quer que se a encare.

» Clique para continuar lendo

27/08/2014

às 17:34 \ Direto ao Ponto

Aqui entre Nós, na TVEJA: Carlos Graieb, Augusto Nunes e Ricardo Setti analisam, ao lado de Joice Hasselmann, a pesquisa do Ibope e o debate promovido pela Band

O Aqui Entre Nós, transmitido ao vivo pela TVEJA, analisou a pesquisa do Ibope divulgada nesta terça-feira, o debate entre os candidatos à Presidência promovido pela Band e a entrevista de Marina Silva ao Jornal Nacional, transmitida nesta quarta-feira pela TV Globo. Participaram do programa apresentado por Joice Hasselmann o editor-executivo do site de VEJA, Carlos Graieb, e os colunistas Ricardo Setti e Augusto Nunes.

26/08/2014

às 19:30 \ Direto ao Ponto

O que Aécio Neves não pode deixar de dizer para conseguir o apoio dos milhões de eleitores que rejeitam a reeleição de Dilma?

O que deve dizer o senador Aécio Neves para mostrar que merece o apoio de milhões de brasileiros que rejeitam a reeleição de Dilma Rousseff? Como informam as pesquisas, essa porção do eleitorado se tornou majoritária, o que condena a presidente à derrota no segundo turno, seja quem for o adversário. Cumpre ao candidato do PSDB traduzir com clareza e coragem as insatisfações e esperanças dessa imensidão de gente.

Antes do debate na Band, a coluna mobilizou o timaço de comentaristas para a formulação de perguntas, respostas e declarações que o representante do maior partido de oposição deveria encampar. Como a campanha continua, não expirou o prazo de validade das sugestões encaminhadas ao candidato. Até o momento, são 255, reunidas em pouco mais de três horas.

Aécio deveria examiná-las uma a uma. Esse vasto material poderá ajudar o candidato tucano a transformar-se em porta-voz dos indignados com a corrupção endêmica, dos estarrecidos com a incompetência administrativa, dos inquietos com o regurgitar da inflação, dos ultrajados com as ameaças às liberdades democráticas e de tantos outros que, por diferentes motivos, compreenderam que é preciso colocar imediatamente um ponto final na era lulopetista.

20/08/2014

às 20:19 \ Direto ao Ponto

No programa ‘Aqui entre Nós’, da TVEJA, o colunista conversa com Joice Hasselmann sobre a versão 2014 de Marina Silva

 

19/08/2014

às 18:19 \ História em Imagens, Sem categoria

TVEJA: na estreia do programa ‘Aqui entre Nós’, Joice Hasselmann, Reinaldo Azevedo, Ricardo Setti e Marco Antonio Villa debatem a entrevista de Dilma ao Jornal Nacional e os resultados da pesquisa Datafolha

20/03/2014

às 17:27 \ Direto ao Ponto

O 60° debate encerrou nesta quinta-feira a série sobre o julgamento do mensalão

O 60° debate sobre o julgamento do mensalão encerrou a série transmitida ao vivo pelo site de VEJA. Reinaldo Azevedo, Marco Antonio Villa, Roberto Podval e este colunista foram os participantes do programa, que fez um balanço do mais importante processo da história do Supremo Tribunal Federal. Peço ao timaço de comentaristas que entre em campo e diga o que achou.

28/02/2014

às 16:05 \ Vídeos: Entrevista

59° debate sobre o julgamento do mensalão

A pauta do 59° debate, transmitido ao vivo nesta quinta-feira, foi a absolvição de José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares do crime de formação de quadrilha. O historiador Marco Antonio Villa, o editor executivo do site de VEJA, Carlos Graieb, e o jornalista Reinaldo Azevedo comentaram a atuação dos ministros do Supremo Tribunal Federal na reta final do julgamento do mensalão. O timaço de comentaristas está convidado a dizer o que achou. 

21/11/2013

às 21:49 \ Vídeos: Entrevista

55º debate sobre o julgamento do mensalão

Marco Antonio Villa e os jornalistas de VEJA comentam a vida dos petistas na cadeia, a reação do Partido dos Trabalhadores, a fuga de Henrique Pizzolato e os próximos passos do julgamento.

 

18/09/2013

às 21:52 \ Vídeos: Entrevista

Veja como foi o 53º debate sobre o julgamento do mensalão

Quem não acompanhou a transmissão ao vivo pelo site de VEJA pode ver aqui como foi o 53º debate sobre o julgamento do mensalão. A conversa reuniu Marco Antonio Villa, Reinaldo Azevedo, Carlos Graieb, Roberto Podval e este colunista.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados