Clique e assine a partir de 9,90/mês

Previdência privada cresce 32% no 1º semestre

Segundo a Fenaprevi, ao todo foram arrecadados R$ 33 bilhões de reais no período, especialmente de poupadores individuais

Por Da Redação - 21 ago 2012, 12h56

A indústria de previdência privada registrou um crescimento de 32% no primeiro semestre deste ano em relação a igual período do ano passado, ao arrecadar 33 bilhões de reais, segundo balanço divulgado nesta terça-feira pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi), durante o VI Fórum Nacional de Seguro de Vida e Previdência Privada.

Os poupadores individuais lideraram os investimentos no período com aportes de 28,6 bilhões de reais – alta de 36,33% em relação ao primeiro semestre de 2011.

Planos – Os planos de previdência VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livre) se destacaram em termos de alta nas arrecadações no período, de 38,24%, com uma arrecadação de 28 bilhões de reais. Esse tipo de plano é direcionado ao investidor que não declara Imposto de Renda pelo modelo completo.

Os planos PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livre), adequados aos contribuintes que fazem a declaração do Imposto de Renda pelo modelo completo, totalizaram contribuições de 3,2 bilhões de reais no primeiro semestre, um aumento de 8,50% frente a igual período de 2011.

Continua após a publicidade

Já os planos tradicionais tiveram arrecadação de 1,6 bilhão de reais nos primeiros seis meses do ano, aumento de 2,11% em relação a igual período do ano passado.

Leia mais:

Fundos de previdência captam R$ 1,8 bilhão em julho

Dilma sanciona nova lei para previdência de servidores públicos

Continua após a publicidade

Seguros – A Fenaprevi também divulgou que a indústria de seguros de pessoas fechou o primeiro semestre com 10,5 bilhões de reais em prêmios emitidos – crescimento de 13,77% ante igual semestre de 2011. As contratações de seguros contra perda de renda e prestamista (que garante o pagamento de dívidas do segurado em compras de bens) lideraram o aumento.

O volume de contratos de seguros contra perda de renda cresceu 174% no primeiro semestre, para 64,4 milhões de reais, sendo a categoria com maior arrecadação no período, evidenciando a cautela entre os consumidores brasileiros.

(Com Agência Estado)

Publicidade