Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Petroleiros entram em greve contra leilão do pré-sal

Funcionários contestam que o projeto piora as condições de trabalho e pedem por avanços na campanha de negociação salarial

Por Da Redação
16 out 2013, 18h43

Empregados da Petrobras entrarão em greve por tempo indeterminado a partir de 0h desta quinta-feira em protesto contra o primeiro leilão de áreas de exploração de petróleo na camada pré-sal. A disputa, que oferecerá a área de Libra, na Bacia de Santos, está agendada para próxima segunda-feira.

Segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP), a indicação a favor da greve foi aprovada em sindicatos filiados “de Norte a Sul” do país. Serão paralisadas as atividades em refinarias, terminais de distribuição, plataformas de petróleo, campos terrestres de produção, usinas de biodiesel, termoelétricas e unidades administrativas da Petrobras e suas subsidiárias.

A única exceção é a Lubnor, fábrica de asfalto, lubrificantes e outros derivados, localizada no Ceará, onde haverá uma assembleia na manhã de quinta-feira para decidir sobre a greve, informa nota enviada pela FUP. “Os petroleiros exigem a suspensão imediata do leilão de Libra, a maior e mais importante descoberta de petróleo dos últimos anos, que o governo pretende ofertar às empresas privadas no próximo dia 21”, diz um trecho da nota.

A pauta de reivindicações da greve inclui também a retirada da pauta de votação da Câmara dos Deputados do Projeto de Lei (PL) 4.330/04, de autoria do deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO). O projeto muda as regras para a terceirização de serviços. “Sob o pretexto de regulamentar a terceirização, (o projeto) piora consideravelmente as condições de trabalho e ataca direitos históricos da classe trabalhadora”, diz a nota da FUP. Por fim, os sindicatos cobram também avanços na campanha de negociação salarial, “cuja proposta apresentada pela Petrobras no dia 7 foi amplamente rejeitada pelos trabalhadores”.

Leia também:

Greve afeta 39 plataformas da Petrobras na Bacia de Campos

Petrobras quer 6% de reajuste nos preços dos combustíveis, diz Lobão

Após rebaixamento, Petrobras diz que sua dívida ‘é equilibrada’

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.