Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PANORAMA1-Bolsas ensaiam melhora, mas recuperação é frágil

Por Da Redação 20 dez 2011, 07h02

SÃO PAULO, 20 Dez (Reuters) – Os mercados financeiros globais buscavam uma trégua nesta terça-feira, encontrando algum suporte na expectativa para a primeira operação de empréstimo de três anos do Banco Central Europeu (BCE) aos bancos da região na quarta-feira, que alguns esperam que irá incentivar a compra de títulos da dívida de países como Itália e Espanha, enquanto outros avaliam que será usado para reparar balanços.

Às 7h40, o índice europeu FTSEurofirst 300 subia 0,26 por cento, com dados melhores sobre confiança na Alemanha ajudando.

O futuro do norte-americano S&P 500 avançava 0,89 por cento – 10,70 pontos. O MSCI para ações globais ganhava 0,17 por cento e para emergentes, 0,08 por cento. O MSCI de ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão verificava acréscimo de 0,23 por cento. Em Tóquio, o Nikkei fechou em alta de 0,49 por cento. O índice da bolsa de Xangai terminou com declínio de 0,10 por cento.

Entre as moedas, o euro apreciava-se 0,32 por cento, a 1,3044 dólar, o que influenciava a queda de 0,20 por cento do índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais. Em relação ao iene, o dólar cedia 0,10 por cento, a 77,92 ienes.

No caso das commodities, o petróleo do tipo Brentaumentava 1,14 por cento em Londres, a 104,82 dólares, enquanto o barril negociado nas operações eletrônicas em Nova York subia 1,01 por cento, a 94,83 dólares.

Mas a melhora era considerada frágil na visão de alguns agentes, com os eforços das autoridades novamente frustrando expectativas quanto a uma resolução da crise na zona do euro, enquanto o BCE segue esfriando expectativas de um suporte mais agressivo.

Na véspera, ministros de Finanças da União Europeia concordaram em oferecer ao FMI 150 bilhões de euros em empréstimos bilaterais, mas não ficou claro se o bloco alcançaria a meta total de 200 bilhões de euros após a Grã-Bretanha afirmar que precisa de mais tempo. Já o presidente do BCE, Mario Draghi, disse também na segunda-feira ao Parlamento Europeu que as compras de títulos de dívida de países periféricos eram temporárias e não infinitas.

No Brasil, a participação do presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado às 11h merece ser acompanhada. Também deve ocupar alguma atenção a audiência na Comissão de Fiscalização da Câmaras para debater sobre o banco Panamericano e o programa Minha Casa Minha Vida, na qual estará presente o presidente do conselho da Caixa, Antonio Henrique Silveira.

A pauta ainda reserva o balanço de pagamentos que o Banco Central divulga pela manhã, que deve mostrar déficit em conta corrente de corrente de 6,8 bilhões de dólares. Ainda, o Tesouro Nacional acolhe das 12h às 13h propostas para a oferta de até 500 mil NTN-B para agosto de 2016, 2018 e 2022 na primeira etapa do leilão de venda destes papéis indexados ao IPCA. O resultado será conhecido a partir de 14h30.

Veja a agenda com os principais indicadores desta terça-feira

Veja como ficaram os principais mercados na segunda-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,8652 real, em alta de 0,47 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa caiu 1,42 por cento, para 55.298 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 9,26 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

Continua após a publicidade

O índice dos principais ADRs brasileiros caiu 1,97 por cento, a 27.848 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2013 subia a 9,910 por cento ao ano ante 9,900 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,2996 dólar, ante 1,3033 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 132,250 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,831 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 4 pontos, para 235 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 3 pontos, a 389 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones recuou 0,84 por cento, para 11.766 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 teve desvalorização de 1,17 por cento, para 1.205 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 1,26 por cento, para 2.523 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto subiu 0,35 dólar, ou 0,37 por cento, a 93,88 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 1,7993 por cento ante 1,851 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Por Paula Arend Laier; Edição de José de Castro)

Continua após a publicidade
Publicidade