Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

OMC reduz previsão de crescimento do comércio global

Brasileiro Roberto Azevêdo discursou oficialmente como diretor-geral do órgão pela primeira vez. E reconheceu: o sistema da instituição enfrenta problemas

Em seu primeiro discurso oficial como diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o embaixador brasileiro Roberto Azevêdo afirmou que o órgão reduziu a projeção de crescimento do comércio mundial para 2,5% em 2013 e 4,5% em 2014. Previsões anteriores da OMC indicavam crescimento de 3,3% neste ano e 5% no ano que vem. Azevêdo ainda reconheceu que o papel da instituição está atualmente em descrédito: “Ao assumir esse papel na OMC, eu reconheço que nosso sistema está com problemas”. E defendeu o comércio multilateral como elemento propulsor do crescimento e desenvolvimento global. “No momento difícil da economia pelo qual passamos, o papel da OMC é ainda mais importante”, afirmou.

Leia também:

Brasileiro Roberto Azevêdo anuncia sua equipe na OMC

Azevêdo terá o mandato mais difícil da história da OMC

Azevêdo pediu a contribuição de todos os países-membros da OMC para que o trabalho do órgão tenha sucesso: “Não posso fazer isso sozinho. Eu posso sugerir caminhos, mas temos de fazê-lo juntos”, afirmou. O brasileiro disse ainda que não vai poupar esforços para que o trabalho do órgão seja efetivo.

O diretor-geral da OMC falou, ainda, sobre a “IX Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio”, marcada para dezembro, em Bali, na Indonésia. Sobre o encontro, alertou que: “As consequências do sucesso serão boas, mas as consequências das falhas serão ainda maiores”.

Crescimento – Azevêdo disse que os dados serão detalhados em relatório que será divulgado em 19 de setembro. Ele explicou que as estimativas foram reduzidas porque a expectativa era de que a União Europeia se recuperasse no segundo trimestre deste ano, mas agora a projeção é de que inicie a recuperação somente no terceiro trimestre.

Azevêdo foi eleito em maio e tomou posse no dia primeiro de setembro. Ele é o primeiro brasileiro a ocupar o cargo depois de ter conquistado amplo apoio de países emergentes.

Leia ainda:

Roberto Azevêdo toma posse como diretor-geral da OMC

(com agência Reuters)