Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Lula aprofunda encruzilhada do BC e amplia incertezas sobre Selic

Expectativa é que Copom realize corte de mesma magnitude na Selic, mas falas de Lula e instabilidades globais geram incertezas no mercado

Por Luana Zanobia
30 out 2023, 11h06

A expectativa do mercado para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que acontece nos dias 31 de outubro e 1º de novembro, é de continuidade na redução dos juros, como sinalizado na ata última ata, de 0,50 ponto percentual. Se confirmado, a Selic será reajustada de 12,75% para 12,25% ao ano, atingindo assim seu menor nível desde junho de 2022 e marcando a terceira redução consecutiva.

A pesquisa realizada pelo BTG, envolvendo 61 agentes financeiros, revelou que 95% dos entrevistados apostam nessa redução de 0,5 ponto percentual. No entanto, enquanto existe um consenso relativo ao curto prazo, as previsões para 2024 são cercadas de incertezas. A fala recente do presidente Luiz Inácio Lula da Silva expressando dúvidas sobre o cumprimento da meta de zerar o déficit público até 2024, lançam uma sombra sobre o futuro da política monetária e aumentam o desafios do Banco Central para a continuidade do ciclo de cortes.

A postura de Lula entra em conflito com as diretrizes expressas na última ata do Copom, que enfatiza a necessidade de atingir as metas fiscais. Somado a isso, incertezas do cenário internacional com as tensões no Oriente Médio e as preocupações com a situação fiscal nos Estados Unidos, introduz camadas de dúvidas sobre condução da política monetária.

O banco americano Citi revisou para cima suas projeções para a Selic em 2024, de 9% para 10%, citando um cenário econômico mais restritivo, expectativas de inflação duradouras e a elevação dos juros globais. O economista-chefe do Itaú, Mario Mesquita, também se alinha a essa visão cautelosa, apontando para a continuidade dos cortes na reunião desta semana, mas deixando em aberto as ações futuras do Copom.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.