Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Lucro da Braskem cai pela metade no 1º trimestre do ano comparado com 2011

Por Da Redação 10 Maio 2012, 14h11

Rio de Janeiro, 10 mai (EFE).- A brasileira Braskem, maior petroquímica da América Latina, informou nesta quinta-feira que obteve no primeiro trimestre do ano um lucro líquido de R$ 152 milhões, a metade do registrado no mesmo período do ano passado.

A companhia, instalada no Brasil e nos Estados Unidos, tinha registrado nos três primeiros meses do ano passado um lucro de R$ 305 milhões.

Os lucros do primeiro trimestre, no entanto, compensaram em parte as perdas de R$ 201 milhões que a empresa sofreu nos três últimos meses de 2011.

Em comunicado a seus acionistas, a Braskem atribuiu a redução dos lucros ao pagamento de uma indenização de R$ 236 milhões por problemas com um contrato de entrega de matéria-prima nos Estados Unidos.

A petroquímica afirmou que sua receita líquida no primeiro trimestre somou R$ 8,232 bilhões, com um crescimento de 11% frente ao mesmo período do ano passado, graças ao aumento das vendas e pelos melhores preços dos petroquímicos básicos.

O lucro trimestral antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou R$ 787 milhões, com uma redução de 14% frente ao mesmo período do ano passado.

Continua após a publicidade

‘A indústria petroquímica operou no primeiro trimestre com margens ainda deprimidas pela restrição da demanda por causa da baixa atividade econômica, especialmente nos países desenvolvidos, somada à elevação dos preços das matérias-primas, principalmente da nafta’, afirma a Braskem.

As vendas trimestrais da Braskem em volume chegaram a 846 mil toneladas de resinas, com uma elevação de 9%.

A dívida líquida da petroquímica no final de março chegava a US$ 6,1 milhões, 4% inferior ao registrado no final de 2011, segundo o balanço da companhia.

A empresa destacou que no trimestre avançou na construção de uma fábrica de PVC em Alagoas que agregará 200 mil toneladas a sua capacidade, e nas obras civis para a fábrica de etileno que constrói no México.

Os investimentos no primeiro trimestre somaram R$ 700 milhões, 50% dos quais foram dirigidas ao aumento da capacidade produtiva. EFE

cm/dsm

Continua após a publicidade
Publicidade