Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo quer ao menos uma concessão de ferrovia em 2013

Para que isso aconteça, ministro dos Transportes diz que é preciso diminuir a dependência do sistema rodoviário para desenvolver a malha ferroviária

O ministro dos Transportes, César Borges, disse nesta segunda-feira que espera que 2013 termine com a realização de, ao menos, um trecho de ferrovia. De acordo com ele, seria a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que liga Lucas do Rio Verde (MT) a Campinorte (GO), necessária para melhorar o escoamento da produção agrícola até os portos do país. “Esperamos fazer ao menos uma concessão em 2013”, disse.

Borges afirmou que as empresas gastam, em média, 13% do faturamento com logística e que, para reduzir esse montante, é preciso diminuir a dependência do modal rodoviário para desenvolver, por exemplo, ferrovias. “Atualmente temos um sistema monopolista de ferrovias, com pressão de demanda e oferta extremamente limitada. Por isso estamos tentando erguer um sistema que possa desenvolver o modal ferroviário no país”, disse o ministro durante evento do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), na capital paulista.

Ele destacou os projetos de infraestrutura que estão sendo oferecidos à iniciativa privada por meio das concessões federais. De acordo com Borges, há uma variedade de projetos para a escolha dos investidores do setor de infraestrutura, talvez até mesmo em um número acima da capacidade dos empresários em abraçar todos os empreendimentos. “Temos um cardápio variado de concessões para investidores de infraestrutura. Talvez até em excesso”, completou.

Leia também:

Entenda o que são as concessões do governo Dilma

Com Bernardo Figueiredo longe, risco de concessões aumenta

Projetos de concessões podem ter correções, diz ministro

(com Estadão Conteúdo)