Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Facebook e Apple oferecem ajuda de custo para funcionárias congelarem óvulos

As empresas podem pagar até 20 mil dólares para o congelamento e armazenamento

Facebook e Apple darão uma ajuda de custo para as funcionárias que decidirem congelar seus óvulos e, assim, adiar a maternidade. O Facebook começou a oferecer o a opção em janeiro, e a Apple começará no início do ano que vem. Ambos podem pagar até 20 mil dólares para o congelamento e armazenamento de óvulos. Cada ciclo de estimulação dos óvulos custa cerca de 10 mil reais, além dos 500 reais de custo anual de armazenamento.

O incentivo se soma à lista de benefícios que as empresas tecnológicas oferecem e que, de certa forma, interagem com a vida privada dos funcionários, como a bolsa de 4 mil dólares para os funcionários que acabaram de se tornar pais. Mas nenhum tinha atraído tanta atenção, nem criado tanto debate, como a oferta de um bônus para o congelamento de óvulos. “Quando completei 30 anos, tinha ideia que meu relógio biológico continuava rodando, mas não sabia quais eram minhas opções”, contou à rede de televisão NBC Jennifer Tye, responsável de marketing da Glow, empresa de saúde reprodutiva. Para Tye, o congelamento de óvulos dá à mulher “mais controle”, ao evitar ter de decidir entre a maternidade e a carreira profissional.

Contudo, não faltou quem alertasse que o procedimento, ainda novidade, não garante que a maternidade ocorrrerá. A Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva desaconselha depender do congelamento de óvulos para garantir a prorrogação da fertilidade, embora indique que quanto mais jovem a mulher é quando o procedimento é realizado, maiores são as possibilidades de sucesso.

Leia também:

Cinco garotas que se tornaram milionárias antes dos 20 – sem herança

O Hospital Mount Sinai, de Nova York, defendeu que a tecnologia utilizada para o congelamento de óvulos melhorou muito nos últimos anos e as chances de o procedimento se traduzir no nascimento de uma criança são mais altas do que no passado.

A fertilidade feminina se reduz gradualmente a partir dos 30 anos e sofre uma grande queda a partir dos 35. A ideia é que o congelamento de óvulos aos 20 anos ofereça maior possibilidade de gravidez do que no fim dos 30 ou aos 40 anos.

Coleta e o congelamento requerem várias rodadas de injeções hormonais para estimular a produção de óvulos no organismo. A notícia da oferta da Apple e Facebook chega em meio a um grande debate sobre a falta de diversidade de gênero no Vale do Silício.

Leia também:

Quem são as mulheres mais poderosas (e bilionárias) do mundo

Forbes comprova: mulheres ricas (quase) não existem

Os últimos dados publicados pelas grandes empresas do setor de tecnologia mostram que as mulheres representam, no melhor dos cenários, apenas 30% da força de trabalho. Para ampliar o potencial, companhias como Google lançaram iniciativas como ‘Make with Code’, na qual investirá 50 milhões de dólares nos próximos três anos para ensinar meninas e adolescentes a programar e obter uma base para o recrutamento futuro.

(Com EFE)