Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Déficit comercial do Brasil com os EUA cai 32,5% em 2012

América Latina mantém superávit comercial com o país, mas resultado recua 10,6% em julho

O déficit do Brasil em relação aos Estados Unidos subiu de 722 milhões de dólares em junho para 805 milhões de dólares em julho. Contudo, no acumulado dos primeiros sete meses do ano, o déficit brasileiro apresentou queda de 32,5%, de 6,622 bilhões de dólares em 2011 para 4,469 bilhões de dólares em 2012. Os dados da balança comercial dos EUA foram divulgados nesta terça-feira pelo Departamento de Comércio americano.

O superávit dos países da América Latina e do Caribe em seu comércio de bens com os Estados Unidos caiu 10,6% de junho a julho e ficou em 4,148 bilhões de dólares. O resultado da região representou em julho passado 5,9% do déficit no comércio de bens americano, que nesse mês somou 70,214 bilhões de dólares. Nos sete primeiros meses deste ano o superávit latino-americano e caribenho somou 37,089 bilhões de dólares, comparado com um saldo propício de 43,047 bilhões de dólares no período similar de 2011.

Estados Unidos – O déficit comercial dos EUA ficou em 42,0 bilhões de dólares em julho, abaixo das estimativas dos analistas, que esperavam déficit de 44,0 bilhões de dólares. O déficit de junho foi revisado para baixo, a 41,9 bilhões de dólares, da leitura original de déficit de 42,92 bilhões de dólares.

As exportações dos EUA caíram 1,0% em julho, para 183,27 bilhões de dólares. Do outro lado, as importações recuaram 0,8%, para 225,27 bilhões de dólares.

O déficit dos EUA com a China cresceu 7,2% em julho, para o novo recorde de 29,38 bilhões de dólares. As importações de produtos chineses também atingiram um novo recorde, a 37,93 bilhões de dólares. Enquanto isso, as exportações para a zona do euro despencaram 14,5%, para 14,92 bilhões de dólares. Assim, o déficit dos norte-americanos com o bloco avançou para 10,19 bilhões de dólares, de 7,01 bilhões de dólares no mês anterior.

Segundo o Departamento do Comércio, o déficit real, que é ajustado pela inflação e que os economistas usam para medir o impacto do comércio exterior no PIB, avançou para 46,55 bilhões de dólares em julho, de 43,99 bilhões de dólares no mês anterior.

(Com Agência Estado e EFE)