Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Criação de postos de trabalho em setembro é a maior do ano, mostra Caged

País criou 211.068 vagas, superando a expectativa de 148 mil apontada por analistas; acumulado do ano é o pior desde 2009

Por Da Redação
16 out 2013, 15h41

O Brasil registrou abertura de 211.068 vagas de trabalho em setembro – o melhor desempenho mensal do ano, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta quarta-feira. O saldo do mês passado é resultado de 1.805.458 admissões e de 1.594.390 demissões. Trata-se do melhor resultado para o mês desde 2010, quando o saldo ficou em 248.875.

O número de contratações e de desligamentos em setembro foram os maiores para este mês desde o início da medição, segundo o Ministério do Trabalho. Pesquisa feita com analistas de mercado mostrou que a mediana das expectativas era de abertura de 148 mil vagas em setembro, com as projeções variando entre 60 mil e 170 mil novos postos.

Em agosto, foram criados 127.648 postos com carteira assinada no dado sem ajuste, ou seja, que considera apenas as informações enviadas pelas empresas até a data limite determinada pelo governo. Há um ajuste da série histórica quando os empregadores enviam informações atualizadas ao Ministério após o prazo oficial. O número ajustado de agosto ficou em 141.906.

Segundo o Caged, o resultado de setembro foi 4,32% maior do que em setembro do ano passado, quando ficou em 202.331 pela série ajustada. Já pela série sem ajuste, houve alta de 40% na comparação com igual mês de 2012, quando o volume de vagas criadas foi de 150.334. No acumulado do ano até setembro, houve criação líquida de empregos formais de 1.323.461.

Setores – A melhora na criação de vagas com carteira assinada foi puxada pelo setor serviços, que em setembro contratou 70.597 pessoas. A indústria de transformação também mostrou bons resultados, com 63.276 novos empregados.

Continua após a publicidade

O comércio contratou 53.845 trabalhadores e a construção civil, 29.779 pessoas. Os resultados só não foram melhores porque a agropecuária registrou demissão líquida de 10.169 trabalhadores.

Em 2013 – No acumulado do ano até setembro, o mercado formal de trabalho registrou contratação líquida de 1.037.752 de trabalhadores, no dado sem ajuste. Com isso, o resultado do ano é o pior registrado desde 2009. Trata-se de uma queda de 16% em relação ao mesmo intervalo do ano passado.

Leia também:

Criação de empregos caiu pela metade em 2012

Continua após a publicidade

Emprego na indústria tem maior recuo em mais de 4 anos

Para Ipea, país não está em fase de pleno emprego

(com Estadão Conteúdo e agência Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.