Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Contas externas tem déficit menor do que o previsto em maio

Déficit das transações correntes somou US$ 3,3 bilhões, abaixo dos 5,4 US$ estimados pelo BC; com o resultado, instituição melhorou a projeção do setor externo para 2015

Por Da Redação 22 jun 2015, 11h56

Após um rombo de 6,9 bilhões de dólares em abril, o déficit das transações correntes somou 3,3 bilhões de dólares em maio, informa o Banco Central nesta segunda-feira. A projeção do BC era de um saldo negativo bem maior, de 5,4 bilhões de dólares. O resultado também veio melhor do que o esperado por analistas de mercado. As estimativas de 12 instituições financeiras consultadas pela Agência Estado apontavam déficit entre 3,9 bilhões de dólares e 5,3 bilhões de dólares.

Com isso, os Investimentos Diretos no País (IDP, antes chamados de IED) voltaram a ser suficientes para cobrir o rombo mensal. Esses recursos trazidos por estrangeiros e que são destinados para o setor produtivo somaram 6,6 bilhões de dólares em maio.

No acumulado dos últimos 12 meses até maio deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em 95,7 bilhões de dólares, o que representa 4,39% do Produto Interno Bruto (PIB). Nos primeiros cinco meses do ano, o rombo nas contas externas soma US$ 35,8 bilhões, ou 4,17% do PIB.

Vale lembrar que os números levam em conta a nova metodologia do BC para as estatísticas de setor externo. Com as mudanças adotadas pela instituição, a série histórica foi reduzida e há dados disponíveis somente a partir de janeiro de 2014. Anteriormente, as informações iam até 1947.

Revisão – O Banco Central também apresentou suas novas projeções para o quadro do setor externo neste ano. Segundo a instituição, haverá um rombo de 81 bilhões de dólares das transações correntes em 2015, menor do que a estimativa anterior, de déficit de 84 bilhões de dólares.

O principal fator para se chegar a esse cálculo é a estimativa para o comportamento da balança comercial no período, que foi mantida com um superávit de 3 bilhões de dólares. No caso das exportações, no entanto, a estimativa do BC passou de 210 bilhões de dólares para 200 bilhões de dólares. Já para as importações houve um recuo na expectativa de 207 bilhões de dólares para 197 bilhões de dólares em 2015.

Continua após a publicidade

Leia também:

Rombo nas contas externas soma US$ 6,9 bilhões em abril

Déficit em conta corrente soma US$ 5,73 bi em março

Déficit em conta corrente soma US$ 6,87 bilhões em fevereiro

Déficit em conta corrente em 2014 é o maior da história

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês