Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Com reservatórios em queda, ONS pode sugerir ligação de térmicas no Nordeste

Nível da água está em 36,15% e térmicas podem ser acionadas para aumentar segurança elétrica em épocas de queimada

Por Da Redação 3 set 2013, 20h04

O diretor-geral da Operadora Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, afirmou que pode solicitar nesta quarta-feira, na reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), que sejam acionadas as usinas termelétricas do Nordeste. Segundo ele, o atual nível dos reservatórios na região é baixo, em torno de 36,15%.

Chipp afirmou ainda que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) continua investigando as causas do apagão da semana passada que deixou o Nordeste sem luz por cerca de quatro horas. O executivo participou de um seminário sobre energia no Rio de Janeiro nesta terça.

Leia também:

Causa do apagão está na malha de transmissão, diz ONS

Continua após a publicidade

Aneel cobra elétricas sobre limpeza da vegetação em linhas de transmissão

“Existe a possibilidade de acionar mais térmicas, ainda mais agora que houve um blecaute e a gente identifica que o período de agosto a setembro tem histórico típico de maior intensidade de queimadas. Vamos aumentar a geração na região para compensar eventuais riscos de segurança elétrica e perda no envio (de energia)“, disse Chipp.

O diretor disse ainda que os reservatórios na região Nordeste estão em níveis baixos e que o envio de energia de outras regiões para lá caiu de cerca de 4.300 megawatts (MW), antes do blecaute da semana passada, para 2.700 MW atualmente. “Se o reservatório está baixo e o Nordeste está na pior hidrologia, se você coloca térmicas em funcionamento aciona menos (os reservatórios) para atender a carga”, disse Chipp.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse, após participar do mesmo evento em que estava Chipp que o governo poderá acionar mais térmicas, se considerar necessário. “Já desligamos algumas térmicas em reuniões anteriores do CMSE e, na ocasião, eu próprio disse que, se fosse necessário, religar alguma térmica nós faríamos e o fato é que nós não podemos correr riscos”, disse o ministro a jornalistas. “Se for necessário, vamos fazer isso depois de examinar no Comitê”, acrescentou.

Na quarta-feira passada, uma queimada no Piauí levou à saída de duas linhas de transmissão do sistema, isolando a região Nordeste e provocando blecaute em áreas de toda a região – já que passou a haver desequilíbrio entre oferta e demanda de energia no Nordeste.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês