Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Com calor intenso, consumo de energia subiu 4,9% em janeiro

Aumento do consumo nas residências foi de 7,9%, enquanto que o setor de comércio e serviços registrou alta de 7,6%

Por Da Redação 28 fev 2014, 14h43

Com o forte calor que fez no início do ano, o consumo de eletricidade no Brasil aumentou 4,9% em janeiro na comparação anual, puxado principalmente pelo consumo das residências e do setor de comércio. O consumo nacional de energia elétrica em janeiro atingiu 40.251 gigawatts-hora (GWh), segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgados nesta sexta-feira.

O consumo das residências aumentou 7,9%, com grande contribuição da região Sul, em razão do forte calor que elevou o uso de equipamentos de refrigeração. Já o segmento de comércio e serviços registrou alta de 7,6%, impulsionado pela inauguração de diversos pontos comerciais. O consumo de energia nas áreas rurais cresceu 10,7% pelo uso de irrigação, também especialmente na região Sul.

Leia também:

Brasil tem a 11ª tarifa de energia mais cara do mundo

Aneel propõe alta de 4,6% nas tarifas de energia para custear CDE

Continua após a publicidade

Lobão e ONS batem cabeça sobre risco de racionamento

Na indústria, por outro lado, o consumo teve um leve acréscimo de 0,9% em janeiro ante o mesmo período do ano passado, já que, segundo a EPE, a atividade industrial iniciou o ano com o mesmo comportamento de 2013: taxas modestas de crescimento sobre uma base já deprimida, sem indicações sólidas de maior vigor no ritmo de produção.

No Sudeste e no Nordeste, o consumo industrial recuou 0,2% e 4,1%, respectivamente. “A menor atividade do setor de produção de alumínio segue impactando ambas as regiões, principalmente no Maranhão (-25%) e em São Paulo (-1,7%)”, afirmou a EPE.

A EPE também reportou o consumo de energia entre os consumidores cativos e livres. O mercado cativo cresceu 5,6% na comparação entre janeiro de 2013 e igual mês de 2014, para 29,9 mil GWh. No acumulado de 12 meses, a alta é de 3%. Já a demanda por energia no mercado livre aumentou 2,8%, para 10,3 mil GWh. Em doze meses, a expansão verificada foi de 4,6%, para 126,6 mil GWh.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade