Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Brasil é o Bric com menos participantes em Davos

País será representado por 34 líderes políticos e empresariais, enquanto a comitiva chinesa é formada por 88 pessoas

Por Ana Clara Costa, de Davos Atualizado em 18 mar 2021, 23h57 - Publicado em 21 jan 2014, 10h34

Entre todos os países dos Brics (grupo de economias emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) presentes no Fórum Econômico Mundial, em Davos, o Brasil é o que conta com menos participantes. São 34 líderes políticos e empresariais, já contando com a delegação da presidente Dilma Rousseff e as desistências dos governadores do Rio de Janeiro e Pernambuco, Sérgio Cabral e Eduardo Campos.

Entre os participantes do setor privado estão a presidente da Petrobras (empresa parceira do evento), Graça Foster, e os presidentes do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, da Anheuser-Busch InBev, Carlos Brito, do grupo ABC, Nizan Guanaes. Outro brasileiro ilustre que estará no evento (mas fora da delegação brasileira) é Roberto Azevêdo, diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Leia mais:

Desigualdade e emprego vão dominar agenda em Davos

Dilma leva equipe econômica a Davos para tentar reaver confiança externa

​Vigilância digital será um dos temas centrais de Davos

No caso da China, são esperados 88 participantes. Já os indianos devem somar 124, enquanto os russos serão 76. Os sul-africanos, por sua vez, serão 59. Apesar das delegações, nenhum dos países do bloco, à exceção do Brasil, enviarão seus chefes de estado.

A abertura oficial do Fórum Econômico Mundial acontecerá na noite desta terça-feira. Já os debates e painéis ocorrerão a partir da manhã de quarta-feira até sábado. O discurso da presidente Dilma em Davos será às 14h15 de sexta-feira (11h15 no horário de Brasília).

Continua após a publicidade
Publicidade