Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bovespa fecha com alta de 0,27%

Bovespa contrariou o rumo das bolsas de Nova York e das principais asiáticas

Diante dos temores sobre a desaceleração econômica global e com a agenda econômica do dia mais fraca, os investidores permaneceram avessos ao risco

Amparada por valorizações das ações da Vale e da Petrobrás, a bolsa brasileira fechou em leve alta. O Ibovespa subiu 0,27%, para 65.966,17 pontos, contrariando o rumo das bolsas de Nova York e das principais asiáticas. Diante dos temores sobre a desaceleração econômica global e com a agenda econômica do dia mais fraca, os investidores permaneceram avessos ao risco.

Nova York – Em Nova York, o Dow Jones fechou em queda de 0,57%, aos 10.319,95 pontos, o Nasdaq recuou 0,83%, para 2.190,27 pontos, e o S&P500 baixou 0,54%, para 1.083,61 pontos. As projeções mais pessimistas da Cisco e pedidos de auxílio-desemprego acima do esperado seguraram as bolsas no vermelho.

O número de pedidos iniciais de auxílio-desemprego subiu 2 mil para 484 mil na semana que terminou em 7 de agosto, o maior nível desde fevereiro. A expectativa era de queda de 14 mil. Após o resultado, os futuros das bolsas e petróleo acentuaram perdas, enquanto o ouro reforçou o movimento de alta.

Na quarta-feira, as bolsas fecharam em queda forte pressionadas pelos temores em relação à retomada da economia global. O Dow Jones caiu 2,49%, para 10.378,83 pontos, o Nasdaq fechou em queda de 3,01%, em 2.208,63 pontos, enquanto o S&P-500 fechou em queda de 2,82%, em 1.089,47 pontos.

O comunicado do Federal Reserve (Fed, banco central americano), em que ele fala que “o ritmo da retomada econômica deve ser mais modesto no curto prazo do que havia sido antecipado” e dados fracos da China continuam ecoando nos mercados.

Ásia – A queda em Wall Street e a piora nas perspectivas econômicas mundiais fizeram os mercados asiáticos fecharem em baixa nesta quinta-feira. A Bolsa de Hong Kong apresentou a terceira sessão seguida de queda. O índice Hang Seng caiu 188,83 pontos, ou 0,9%, e terminou aos 21.105,71 pontos.

A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de quinta-feira em baixa 0,86%. O índice Nikkei 225 perdeu 80,26 pontos, a 9.212,59 unidades.

Já as Bolsas da China caíram ao menor patamar em duas semanas, também por conta das incertezas sobre os próximos movimentos da política econômica chinesa. O índice Xangai Composto perdeu 1,2% e encerrou aos 2.575,48 pontos, o pior fechamento desde 27 de julho. O Shenzhen Composto caiu 1,2% e terminou aos 1.083,12 pontos.

Europa – As principais bolsas europeias fecharam em leve queda, embora o índice pan-europeu Stoxx 600 tenha subido 0,10%, para 254,93 pontos, após oscilar nos campos positivo e negativo durante o dia. Hoje os mercados de ações da Europa desaceleram as perdas após fortes quedas nas sessões anteriores, causadas por receios sobre o crescimento econômico.

Fecharam em baixa os índices das bolsas de Frankfurt, Paris, Milão e Madri, com quedas de 0,31%, 0,20%, 0,19% e 0,31%, respectivamente. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 0,40%, em 5.266,06 pontos, após uma sessão agitada, e na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou com elevação de 0,02%, em 7.299,30 pontos.

(Com Agência Estado)