Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Bancos espanhóis assumirão perdas com reestruturação

Madri anuncia reforma para incentivar o próprio setor a por em prática um programa de reestruturação, sem a participação de recursos públicos

Por Da Redação - 6 out 2011, 10h02

Os bancos espanhóis deverão assumir as eventuais perdas ligadas a sua reestruturação, afirmou nesta quinta-feira em uma coletiva de imprensa a ministra espanhola da Economia, Elena Salgado, ressaltando que as instituições não devem ser assumidas pelo Estado, nem pelos contribuintes.

A ministra anunciou uma reforma destinada a fazer com que sejam os próprios bancos do país, e não as finanças públicas, os que devem pagar o custo da reestruturação do setor. “A intenção do governo é que as perdas futuras que possam surgir no processo de recapitalização do setor financeiro não sejam transferidas aos contribuintes, nem aumentem o déficit público”, explicou Salgado. Com a reforma anunciada, “seja qual for o resultado deste desinvestimento, se ocorrerem perdas elas serão assumidas pelo próprio setor financeiro”, afirmou.

O governo espanhol criará para isso um novo fundo de garantia de depósitos, que unirá os três existentes e será financiado pelos bancos, para proteger os depositantes diante de possíveis perdas dos bancos. “O governo decidiu que o novo fundo de garantia de depósitos fornecerá a partir de agora uma garantia (…) pelas perdas líquidas potenciais que possam ocorrer no processo de reestruturação do sistema financeiro”, acrescentou Salgado.

(com Agence France-Presse)

Publicidade