Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Avianca terá nova regra para bagagens e tarifas a partir de 2ª

Empresa criará categoria mais econômica sem franquia de malas, na qual o serviço poderá ser comprado à parte.

A Avianca vai mudar as regras para bagagens despachadas e classes tarifárias a partir da próxima segunda-feira. A empresa reduzirá os atuais quatro patamares para três: flex, econômica e promocional. Esta última, que promete ser mais barata, não dará direito a bagagem despachada gratuitamente. A empresa era a única dentre as quatro grandes, as outras são Latam, Gol e Azul, que não havia alterado sua política para bagagens após a regra da Anac.

A passagem na classe econômica permitirá o despacho de uma mala de até 23 quilos, e a flex, de duas. O custo para despachar bagagem na promocional é de 30 reais, se comprada até seis horas antes do embarque (60 reais se posteriormente).

Para o presidente da empresa, Frederico Pedreira, o objetivo da companhia com a passagem sem direito a despachar bagagem é oferecer uma opção mais barata. “É para quem compra com antecedência e acha que os 10 quilos de bagagem que podem ser levadas na cabine são suficientes”, disse a VEJA. A empresa não divulgou qual a diferença no preço dessas passagens para as demais categorias.

O executivo diz que os dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) mostram que há bastante demanda por bilhetes sem bagagem. A meta da Avianca é ganhar mais participação do mercado, atraindo clientes que deixaram de voar por causa da crise ou que não estão acostumados com o serviço aéreo. “No ano passado, o setor aéreo teve queda de cerca de 8 milhões de passageiros. É algo que vai demorar algum tempo para voltar”, analisa.

As companhias aéreas Latam, Gol e Azul também tem classes tarifárias mais baratas que não dão direito a despachar bagagem. Os custos do serviço para voos nacionais são de a partir de 30 reais (Latam e Gol) e 40 reais (Azul), dependendo do momento da compra.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Francisco Lemos

    e o brasileiro segue pagando os precos mais caros do mundo para tudo e qualquer coisa. DEsde uma banana ate imoveis de luxo, desde servicos publicos ate os piores e mais caros politicos e juizes do planeta. Eita povo manso…

    Curtir