Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ataque hacker ao Facebook afeta 50 milhões de usuários

Como medida de segurança, cerca de 90 milhões de usuários precisaram refazer o login para acessar a rede social. Facebook diz não ser necessário mudar senha

O Facebook anunciou nesta sexta-feira, 28, ter feito uma atualização de segurança devido a um ataque hacker. Uma brecha foi encontrada por esses hackers para roubar credenciais de segurança de 50 milhões de usuários.

Por meio de nota, a rede social explicou o caso. “Este ataque explorou uma interação complexa envolvendo uma série de ocorrências em nossos códigos. Ele nasceu de uma mudança de código que fizemos na nossa ferramenta de upload de vídeo em julho de 2017, que impactou a funcionalidade ‘Ver Como’.”, diz o comunicado da empresa. A funcionalidade “Ver Como” permite às pessoas verem como seus perfis aparecem para outras pessoas.

“Os invasores não precisaram apenas encontrar essa vulnerabilidade e usá-la para ganhar acesso a um token, mas também tiveram que ir desta conta a outras para roubar mais tokens.”

Como medida de segurança, o Facebook invalidou o acesso de outros 40 milhões de contas que usaram a funcionalidade “Ver Como” no último ano. Assim, cerca de 90 milhões de pessoas no mundo precisam refazer o login no aplicativo, ou em qualquer outro aplicativo que utilize o Facebook Login. A empresa afirma que, após se logarem, as pessoas receberão uma notificação explicando o que aconteceu. O Facebook esclarece que não é necessário que nenhum usuário modifique suas senhas de acesso.

A empresa de Mark Zuckerberg, mais uma vez, mostra que seus usuários podem estar vulneráveis a organizações com interesses maliciosos. O Facebook envolveu-se em um escândalo sobre os dados de seus usuários após o jornal The New York Times revelar que a Cambridge Analytica, consultoria que participou da campanha de Donald Trump à Presidência dos Estados Unidos, obteve dados de 87 milhões de usuários. A consultoria teria usado informações da rede social para ajudar Trump a vencer a eleição em 2016. A companhia afirma não ter feito nada de ilegal.

Como desdobramento do caso, Zuckerberg teve de depor ao Senado americano para defender a segurança dos dados dos usuários do Facebook e negar influência sobre a eleição americana. À época, a empresa chegou a perder mais de 60 bilhões de dólares em valor de mercado.

Investigação

A rede social afirma que está iniciando a investigação e que ainda não tem como determinar se essas contas foram mal utilizadas ou se alguma informação foi acessada.

“Nós também não sabemos quem está por trás desses ataques ou onde os invasores estão localizados. Estamos trabalhando muito para entender melhor esses detalhes”, diz a nota. “Além disso, caso encontremos mais contas afetadas, iremos imediatamente invalidar os seus tokens de acesso.”