Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após ata do Fed, dólar fecha a R$ 2,45 — maior cotação em quase 5 anos

A moeda abriu a R$ 2,40 e, em apenas um dia, subiu 2,31%; BC americano não deu definições sobre fim da política de estímulos

Por Da Redação - 21 ago 2013, 17h38

O dólar disparou na tarde desta quarta-feira. Depois da divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), a moeda fechou cotada a 2,451 reais, depois de abrir a 2,40 reais. Em apenas um dia, a alta acumulada foi de 2,31%. Trata-se da maior cotação de fechamento desde dezembro de 2008.

Segundo a ata, a maioria dos doze integrantes do comitê americano de política monetária concorda que uma mudança no programa de compra de títulos do Tesouro ainda não é apropriada. O mercado aguardava que o documento trouxesse algum esclarecimento sobre quando o Fed dará início à redução dos estímulos monetários, já que o próprio presidente do Fed, Ben Bernanke, deu a entender que isso pode ocorrer ainda em 2013. O documento mostra, no entando, que o órgão ainda não chegou a uma conclusão sobre o tema. Tal incerteza tem feito com que as moedas de diversos países – sobretudo os emergentes – se desvalorizem.

Mesmo com a forte atuação do Banco Central na terça-feira, que injetou 6 bilhões de dólares no mercado, o dólar abriu em alta de 0,58% nesta quarta. A moeda continuou se valorizando após a autoridade monetária brasileira ter feito novo leilão de contratos de swap cambial (equivalente à venda de dólares no mercado futuro).

O BC vendeu todos os 20 mil contratos de swap cambial anunciados, totalizando 987,9 milhões de dólares. A operação foi anunciada na terça e realizada entre 10h30 e 10h40 desta quarta.

Continua após a publicidade

Leia também:

Dólar recua e fecha a R$ 2,39 após BC injetar US$ 6 bi

Alexandre Schwartsman: ‘O Brasil maltratou o quanto pôde o capital estrangeiro’

Disparada do dólar evidencia falta de estratégia do BC

Publicidade