Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ambev reafirma aportes de até R$ 2,6 bilhões no País

Por Da Redação 30 abr 2012, 08h26

Por Suzana Inhesta

São Paulo – A fabricante de bebidas Ambev reafirmou nesta segunda-feira, na divulgação de seu balanço financeiro do primeiro trimestre, os investimentos de até R$ 2,6 bilhões no Brasil no decorrer do ano, o mesmo montante aplicado no ano passado. “Acreditamos que esse investimento é responsável por um importante ciclo virtuoso para a economia, pois resulta na geração de mais empregos e no aumento da produção da empresa, o que significa mais tributos aos cofres públicos”, afirmou o presidente da companhia, João Castro Neves, em comunicado à imprensa. Entretanto, a manutenção desse montante dependerá dos níveis dos impostos federais.

No primeiro trimestre, os aportes (capex) da empresa somaram R$ 365,6 milhões, 37,1% abaixo dos R$ 580,8 milhões do mesmo período do ano passado. O valor foi direcionado principalmente àampliação da capacidade produtiva no Brasil.

A Ambev ainda comentou que continua com a expectativa de crescimento de receita líquida por hectolitro (ROL/hl) em linha com a inflação para o ano, e que o Custo do Produto Vendido por hectolitro (CPV/hl) deve aumentar abaixo da inflação de 2012.

Nos primeiros três meses do ano, a receita líquida consolidada por hectolitro foi de R$ 171,3, aumento de 6,5% ante os R$ 160,8 do mesmo período de 2011. Na ocasião dos resultados de 2011, a Ambev havia dito que esse indicador entre os meses de janeiro e março deveria ficar menor do que a média esperada para o ano, que é em linha com a inflação. O Custo do Produto Vendido (CPV) somou R$ 2,312 bilhões, alta de 9,8%, enquanto o CPV por hectolitro (CPV/hl) avançou 6%, para R$ 54,8.

O volume de bebidas vendido no primeiro trimestre do ano chegou a 42,230 milhões de hectolitros, aumento de 3,5% ante igual período de 2011, quando foram comercializados 40,796 milhões de hectolitros de bebidas. Somente de cerveja foram vendidos 30,255 milhões de hectolitros, avanço de 2,6% na mesma comparação. Já em refrigerantes e bebidas não alcoólicas, a alta foi de 5,8%, para 11,974 milhões de hectolitros.

“O crescimento do volume de vendas no primeiro trimestre em comparação ao mesmo período de 2011 em muito se deve à continuidade do bom momento econômico vivido pelo País”, explica a companhia. “A indústria no Brasil vem crescendo, proporcionando um aumento da massa salarial, taxas de desemprego em níveis baixos e também uma ampliação da população economicamente ativa”, completa a Ambev no documento.

Continua após a publicidade
Publicidade