Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Brasil faz acordo com a Amazon visando desenvolver indústria espacial

Amazon Web Services (AWS) vai apoiar a inovação e o crescimento da indústria espacial do país

Por Luana Meneghetti Atualizado em 18 fev 2022, 15h03 - Publicado em 16 fev 2022, 18h55

A Amazon Web Services (AWS), plataforma de computação em nuvem da Amazon, empresa do bilionário americano Jeff Bezos, assinou um Termo de Intenção Estratégica e Cooperação com a Agência Espacial Brasileira (AEB) para apoiar a inovação e o crescimento da indústria espacial do país. Esse é o primeiro acordo do tipo para a agência na América Latina.

O anúncio acontece um mês e meio depois da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), conceder o direito de exploração de satélite para a Starlink, subdivisão da SpaceX, do bilionário Elon Musk, bastante conhecido pela sua empresa de carros elétricos, a Tesla.

O acordo define três metas para o desenvolvimento econômico e tecnológico do espaço aéreo brasileiro no longo prazo, por meio de iniciativas educacionais, econômicas e políticas, que beneficiarão o governo brasileiro, organizações espaciais comerciais brasileiras e startups focadas no espaço.  A primeira delas prevê o “estabelecimento de programas nacionais de pesquisa e desenvolvimento espacial (P&D), fornecendo recursos de treinamento e impulsionando startups”. A segunda se trata da criação de um “Programa de Patrocínio de Dados Abertos da AWS, um repositório centralizado de dados espaciais. Isso permitirá que as partes interessadas acessem e analisem facilmente dados espaciais”. A terceira visa instituir políticas e estratégias pata o desenvolvimento espacial, por meio de “discussões sobre políticas, estratégias e medidas regulatórias nacionais, em apoio aos objetivos espaciais civis, comerciais e de segurança nacional do Brasil”, informa a Agência Espacial Brasileira.

A iniciativa contou com a colaboração da Embaixada Brasileira em Washington. “O acordo entre a Agência Espacial Brasileira e a Amazon Web Services é iniciativa concreta em prol de maior integração do setor privado brasileiro e de nossa indústria aeroespacial com o ecossistema de inovação americano, o mais avançado do mundo na área espacial”, disse o embaixador do Brasil em Washington, Nestor Forster Jr.

Para o presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Augusto Teixeira de Moura, o acordo representa um passo importante para fomentar a indústria espacial brasileira. O acordo vai fornecer ferramentas, treinamento e educação que ajudarão a garantir que o Brasil continue a ser um líder espacial na América Latina para as próximas gerações.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês