Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Aeroporto de Natal (talvez) tenha acessos rodoviários antes da Copa

O governo do Rio Grande do Norte se comprometeu com o consórcio a entregar as obras do acesso norte até março de 2014 — e as do acesso sul antes da Copa do Mundo

Por Da Redação 26 nov 2013, 18h01

O governo estadual do Rio Grande do Norte se comprometeu a entregar as obras de acesso ao Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante antes da Copa do Mundo, informou nesta terça-feira, Alysson Paolinelli, diretor-presidente da Inframérica, responsável pela construção e posterior administração do novo terminal. Ele participa em Brasília do 1º Seminário de Operadores de Aeroportos Brasileiros.

Paolinelli disse que o primeiro aeroporto concedido à iniciativa privada do país vai entrar em operação às 8h30 do dia 3 de abril do ano que vem, quando um voo do Aeroporto Internacional Augusto Severo, que serve Natal, será transferido para o novo terminal, distante 33 km do atual.

As obras de acesso ao novo aeroporto, de responsabilidade do governo estadual, eram o que mais preocupava a Inframérica. Orçado em 73 milhões de reais, o projeto prevê a construção de 33,7 Km de estrada duplicada, ligando o aeroporto à BR 406 pelo acesso norte e às BRs 304 e 226 pelo acesso sul. O governo do Rio Grande do Norte se comprometeu a entregar as obras do acesso norte até março de 2014 e as do acesso sul antes da Copa do Mundo.

Leia também:

Aeroporto de Natal: a 15 meses da Copa, 85% da obra está por fazer

Continua após a publicidade

BNDES aprova, enfim, crédito para aeroporto de São Gonçalo do Amarante

O aeroporto da Copa que ainda não saiu do chão

Segundo Paolinelli, o terminal de passageiros está 70% pronto e o terminal de cargas, 40%. O consórcio Inframérica, controlado pelo Grupo Engevix e pela argentina Corporación América, investirá 410 milhões de reais no novo terminal.

Na primeira fase, o aeroporto terá capacidade para 6,2 milhões de passageiros por ano e na segunda fase essa capacidade será ampliada para 11 milhões de passageiros por ano, demanda esperada apenas para o ano de 2038.

Pelo contrato, a estatal Infraero vai investir quase 190 milhões de reais na construção da pista que poderá receber a maior aeronave comercial do mundo, o A 380. A capacidade de processamento estimada para o terminal de carga é de 10 mil toneladas por ano.

O consórcio Inframérica ainda ficou responsável pela construção da torre de controle do aeroporto, a única do país que terá toda a operação nas mãos da iniciativa privada. Com 38 metros de altura, a torre está com 70% das obras concluídas e a equipe que será responsável pela operação está terminando a terceira fase de quatro do curso de treinamento.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade