Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Custos da indústria caíram 2,5% no primeiro trimestre, calcula CNI

Desaceleração da indústria e dos serviços contribuiu para queda nos gastos com pessoal, energia e compra de insumos

Por Nicholas Shores Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
28 jul 2023, 10h00

O Indicador de Custos Industriais da CNI caiu 2,5% no primeiro trimestre de 2023 em relação ao quarto trimestre de 2022. Por outro lado, o custo da indústria registrou alta de 3,6% na comparação com os três primeiros meses do ano passado.

A queda do indicador no primeiro trimestre de 2023 se deve ao recuo de dois dos três componentes do indicador: o custo de produção, que caiu 2,9%, e o custo tributário, que ficou 4,1% menor. O custo de capital subiu 6,4%.

Na avaliação da economista da CNI Paula Verlangeiro, a queda trimestral do indicador foi causada pela desaceleração da indústria e dos serviços.

Mesmo com essa queda no início do ano, os custos para a indústria ainda se encontram, segundo a CNI, em patamar “muito elevado” em relação à série histórica e 15,5% acima do período pré-pandemia.

Continua após a publicidade

O custo de produção é formado por três componentes: custos com energia, pessoal e intermediários. E todos caíram no primeiro trimestre do ano.

“A queda do custo com pessoal foi influenciada pela perda do ritmo de crescimento do mercado de trabalho, e percebemos que a menor pressão sobre os preços energéticos contribuiu para a queda do custo com energia. Além disso, o fornecimento de insumos e matérias-primas está trilhando o processo de normalização”, afirma Verlangeiro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.