Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Gustavo Maia (interino) Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Chefe da CNI diz que MP de Lula é “ataque à competitividade da indústria”

Ricardo Alban abandonou a comitiva de Geraldo Alckmin na China e retornou ao Brasil, após a edição da medida provisória pelo presidente da República

Por Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 5 jun 2024, 18h03 - Publicado em 5 jun 2024, 17h58

Chefe da CNI, o empresário Ricardo Alban abandonou, nesta quarta-feira, a comitiva do vice-presidente Geraldo Alckmin na China e retornou ao Brasil em protesto ao ato do governo que editou uma medida provisória para limitar a compensação de créditos de PIS/Cofins e vedar o ressarcimento de saldo credor decorrente do crédito presumido. Nas contas da entidade, a medida, editada sem diálogo ou aviso prévio, deve provocar perdas de 29,2 bilhões de reais no setor industrial.

“Chegamos ao nosso limite. Nós somos um vetor fundamental para o desenvolvimento do país e vamos às últimas consequências jurídicas e políticas para defender a indústria no Brasil. Não adianta ter uma nova e robusta política industrial de um lado se, do outro, vemos esse ataque à nossa competitividade”, diz Ricardo Alban.

O presidente da CNI estava na comitiva de Alckmin e outros ministros importantes do governo como o chefe da Casa Civil, Rui Costa. O “outro lado” que seria responsável pelo “ataque à nossa competitividade”, segundo a CNI, é o próprio Ministério da Fazenda de Fernando Haddad. “A MP 1.227, apresentada ontem pelo Ministério da Fazenda, onera ainda mais a já sobretaxada indústria brasileira”, diz a entidade.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.