Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Aéreas fecham mesa de negociação com governo sobre preço do querosene

Companhias calculam que hoje combustível corresponde a 40% dos custos das empresas

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 6 Maio 2022, 12h47 - Publicado em 6 Maio 2022, 12h10

Fortemente impactadas pela alta do querosene de aviação, as companhias aéreas estão otimistas com o diálogo aberto com o governo para tratar do tema.

Representantes do setor se encontraram nas últimas semanas com os ministros Marcelo Sampaio (Infraestrutura), Ciro Nogueira (Casa Civil), Paulo Guedes (Economia) e Carlos Alberto Gomes de Brito (Turismo) e acertaram: já a partir deste mês, haverá encontros periódicos para se discutir o preço do combustível que hoje responde por 40% dos custos das empresas.

“Não queremos pedir desoneração ou redução de tributos. Queremos justamente construir esse diálogo permanente com o governo e que convidem a Petrobras, o Ministério de Minas e Energia e a ANP se for o caso”, diz Eduardo Sanovicz, presidente da Abear, associação que representa as empresas.

Apenas em 2021, o querosene de aviação teve alta de 92% e, em 2022, o preço do combustível já aumentou 48%. “Ele é dolarizado e segue as volatilidades internacionais, ou seja, a guerra na Ucrânia e o aumento no câmbio acabam impactando no preço do bilhete”, diz Sanovicz.

E por falar em tarifa das passagens, o setor também se diz otimista em relação ao debate sobre despacho de bagagem.

Na semana passada, a Câmara aprovou o fim da cobrança em separado, mas o ministro da Infraestrutura já avisou que, se a MP for aprovada do jeito que está, o presidente Jair Bolsonaro (PL) vetará a emenda. O texto ainda precisa ser analisado pelo Senado.

“Esperamos que seja um debate mais tranquilo, menos corrido do que foi na Câmara. Não existe despacho grátis de passagem, o preço será dividido entre todos os passageiros. É uma dinâmica mundial que a tarifa da bagagem seja cobrada em separado”, afirma o presidente da Abear.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)