Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Por que o brasileiro não está surfando com a alta das commodities?

Inflação se espalha pelo mundo

Por Felipe Erlich 19 Maio 2022, 10h04

Nesta quarta-feira, 18, o Banco da Inglaterra anunciou que a inflação no Reino Unido chegou a um acumulado de 9% em um ano, batendo recorde de quarenta anos. Como reação, a instituição aumentou a taxa de juros para 1%, a maior em treze anos. Já nos EUA, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse na terça-feira,17, que “não vai hesitar” em aumentar a taxa de juros até que a inflação diminua. Ambos os acontecimentos ilustram a crise global no custo de vida, que começou na pandemia e está sendo piorada pela guerra na Ucrânia com o aumento global dos preços das commodities. Julia Braga, economista e professora da Universidade Federal Fluminense (UFF), mostra a complexidade do efeito dessa crise no Brasil dizendo que a demanda por commodities a preços altos aliada a capacidade do país de produzir mais beneficia esse setor e nossas exportações, mas “um lado da economia (o consumidor brasileiro) fica de fora e sai prejudicado por causa da inflação”.  “Há mecanismos para lidar com cenários adversos, mas políticas equivocadas estão sendo adotadas. Em outras épocas, falou-se em surfar na onda das commodities, mas por que não agora?” 

*Quer receber alerta da publicação das notas do Radar Econômico? Siga-nos pelo Twitter e acione o sininho.

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)