Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Sem Dilma, leilão deve trazer torrente de dinheiro

Setor de energia espera bilhões para a construção, operação e manutenção de 7.400 km de linhas de transmissão

Por Ernesto Neves 19 abr 2017, 17h25

É alta a expectativa do mercado quanto ao leilão de 7.400 quilômetros de linhas de transmissão no próximo dia 24. O governo preparou uma maratona na Bovespa, que deve ser iniciada às 8h00, duas horas antes do habitual.

Ao longo do dia, serão colocadas à venda 35 lotes de linhas de transmissão em 20 estados, incluindo Rio, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Bahia.

Espera-se que o leilão negocie ao menos 90% do ofertado, como aconteceu no último evento do tipo, em 2016. Segundo o governo, isso significa R$ 13,1 bilhões em investimentos. 

Trata-se de um panorama bem diferente dos tempos de Dilma Rousseff. No último leilão elétrico da administração petista, foram vendidas só 40% das linhas.

Continua após a publicidade
Publicidade