Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Uso de coworkings públicos deve crescer 40% em SP

Unidades em Heliópolis e no Jardim Edite serão inauguradas em julho

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 17 jun 2020, 23h33 - Publicado em 18 jun 2020, 14h32

Com a lenta retomada da economia e a dificuldade de empreendedores conseguirem estruturar o próprio negócio, a prefeitura de São Paulo resolveu ampliar o número de coworkings públicos. A expectativa é inaugurar até o final de julho dois novos Teias, como são chamados os espaços de trabalho compartilhado: um em Heliópolis e outro no Jardim Edite, ambos na zona sul da capital.

Com os novos espaços, a rede da prefeitura passará a contar com sete coworkings públicos, o que elevará de 20.000 para 28.000 a capacidade de atendimento aos empreendedores – um aumento de 40%. O primeiro Teia foi inaugurado na região de Taipas, em maio de 2019. A unidade já recebeu mais de 3.800 empreendedores. Nos locais de trabalho os empreendedores podem utilizar gratuitamente mesas de trabalho, computadores, salas de reuniões e internet rápida.

“Mesmo com a pandemia pretendemos iniciar as atividades dos novos Teias, ainda que de forma on-line, promovendo a qualificação empreendedora dos moradores da região, criando e fortalecendo redes locais para o desenvolvimento dos negócios e ampliação de vendas de produtos e serviços”, explica Frederico Celentano, presidente da Agência São Paulo de Desenvolvimento (Ade Sampa). O órgão, ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, seleciona até 30 de junho entidades para a gestão dos dois novos espaços.

Publicidade