Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pesquisa mostra impacto do varejo online na vida do brasileiro

Compras virtuais tiveram aumento de 81% entre 2020 e 2019

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 24 mar 2021, 22h08 - Publicado em 25 mar 2021, 10h32

Uma pesquisa da KPMG aponta que os brasileiros estão comprando mais online. E bem mais: por conta da pandemia, o salto foi de 81% na comparação entre 2020 e 2019. O indicador faz parte da terceira edição da pesquisa “Me, my life, my wallet” (Eu, minha vida, minha carteira), conduzida pela consultoria com mais de 18.000 consumidores de 16 países, inclusive o Brasil.

O estudo revelou que mais da metade (58%) dos entrevistados estão usando tecnologias diferentes das que estavam acostumados. Além disso, as visitas às lojas de varejo tradicionais caíram 70%, com 56% das pessoas usando mais e-commerce de varejistas tradicionais para compras e 53% acessando plataformas digitais e marketplaces.

Os brasileiros também estão mais confiantes na eficiência e credibilidade do comércio online. No varejo não alimentar, 57% dos entrevistados continuarão sendo consumidores digitais após a diminuição das restrições, com 39% considerando que as compras online são mais rápidas e oferecem mais variedade. Outro dado é que a segurança digital é tão fundamental que o número de pessoas que se recusam a fornecer dados pessoais aumentou. Estas pessoas representavam 9% dos entrevistados antes da pandemia, aumentando posteriormente para 13%.

“A pandemia mudou para sempre os comportamentos dos consumidores. Eles estão mais seletivos em suas decisões. Os critérios deles são mais complexos e, antes de comprarem produtos e serviços, analisam marca, propósito, reputação, segurança, conveniência, integridade e confiabilidade”, afirma Augusto Puliti, da KPMG.

Continua após a publicidade

Publicidade