Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Saída de diretora pode antecipar BC autônomo

Roberto Campos Neto indica Fernanda Guardado para a diretoria, mas nome precisa do aval de Jair Bolsonaro

Por Josette Goulart 18 mar 2021, 19h14

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, anunciou na noite desta quinta-feira, 18, que está indicando a economista-chefe do Banco Bocom BBM, Fernanda Guardado, para ocupar o cargo de diretora de assuntos internacionais e riscos corporativos. Ela poderá ocupar o lugar de Fernanda Nechio, que está deixando o BC por razões pessoais e ficará somente até a próxima reunião do Copom, dias 4 e 5 de maio. Mas a saída de Nechio pode mesmo é precipitar o BC autônomo. A nova diretora, se aprovada pelo Senado Federal, já terá o mandato de 4 anos previstos na nova lei que deu autonomia ao Banco Central. Outro ponto importante será a aprovação ou não do nome de Fernanda Guardado pelo presidente Jair Bolsonaro, que terá a prerrogativa de escolher toda a diretoria que vai estrear o BC autônomo. O próprio Roberto Campos Neto precisa ainda ser nomeado pelo presidente Bolsonaro para ter direito ao mandato de 4 anos. Bolsonaro tem cerca de 90 dias para fazer todas as nomeações.

Publicidade