Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

O que o programa de trainee do Magazine Luiza pode ensinar ao mercado

Projeto voltado a aumentar a diversidade racial nos cargos de liderança da varejista mostra o caminho para ações afirmativas

Por Felipe Mendes 2 jul 2021, 10h58

Depois de causar um furor no mercado financeiro e nas mídias sociais, com o anúncio de um programa de trainee exclusivo para negros, o Magazine Luiza prepara esses jovens (foram 19 selecionados entre 22,5 mil inscritos) para serem alocados em suas respectivas funções dentro da empresa. Patricia Pugas, diretora-executiva de gestão de pessoas no Magalu, comemora os avanços, mas admite que a pandemia de Covid-19 acabou afetando o processo, já que parte fundamental de uma varejista é o conhecimento do dia a dia das lojas.

“O programa trainee teve o foco específico de aumentar a diversidade racial na nossa liderança. E achamos que esse era o melhor caminho para se fazer isso, de fato.  O programa está indo de vento em popa. Nós temos 19 trainees excelentes, uma turma deliciosa de se trabalhar. A pandemia atrapalhou um pouco, mas está tudo correndo bem”, diz ela. “Eles estão terminando o programa de formação para serem alocados nas áreas para que passem a desempenhar suas atividades.”

No programa, os jovens têm uma trilha de desenvolvimento desenhada, que inclui estágio em lojas, realização de projetos estratégicos, mentoria, treinamentos técnicos e comportamentais e aulas de inglês. Para Patrícia, promover um ambiente acolhedor é fundamental para o sucesso de iniciativas do tipo. “As ações são desenhadas de acordo com os nossos propósitos e valores para democratizar o acesso, levando ao acesso de muitos o que é privilégio de poucos. E isso passa por inclusão e ações afirmativas”, diz ela. “Ser genuíno e verdadeiro ajuda muito nesse processo. A diversidade é algo que está na nossa raiz. E, olhando de forma geral para o mercado, hoje a pauta ESG está cada vez mais forte. O cliente quer comprar de quem tem essa visão, e o talento quer fazer parte de uma empresa que tenha essa visão. Quem não se adequar a essa nova realidade por essência, vai ter de fazer isso por estratégia, porque, de fato, é um caminho sem volta.”

Publicidade