Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Lira e Campos Neto contestam Petrobras e ação cai; Silva e Luna se defende

VEJA Mercado: preço da gasolina é questionado e presidente da companhia se defende, mas papéis caem na bolsa

Por Diego Gimenes 14 set 2021, 18h12

A gasolina de 7 reais segue repercutindo pelos quatro cantos. Desta vez, figuras importantes dos meios político e econômico questionaram a política de preços da Petrobras e nem a alta do petróleo no mercado internacional segurou o papel. Em evento do BTG Pactual, Roberto Campos Neto, presidente do BC, disse que a estatal repassa os preços do petróleo “muito mais rápido do que grande parte dos outros países”. Já Arthur Lira, presidente da Câmara, disse, na segunda-feira, 14, que a Petrobras precisa lembra que o principal acionista da companhia é o brasileiro, em referência aos preços da gasolina, do diesel e do gás de cozinha. Em audiência pública no plenário da Câmara nesta terça-feira, 14, o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna manteve o discurso de que a parte que corresponde a sua empresa é de 2 reais por litro, considerando o litro a 6 reais. A outra parte, segundo o general da reserva, corresponde a uma série de tributos, e destacou o ICMS como o mais pesado. Mas acabou admitindo: o dólar está deixando a vida do brasileiro mais cara. As ações da Petrobras fecharam o pregão desta terça em queda de 1,33%, mesmo com a subida na cotação do petróleo no mercado internacional.

+ Presidente da Petrobras admite: dólar está encarecendo vida do brasileiro

Publicidade