Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Explode o número de fundos expostos ao setor de saúde. Veja por quê

VEJA Mercado: setor ganhou novos players na B3 e número de fundos com posição em empresas de saúde mais que dobrou em um ano

Por Diego Gimenes 23 set 2021, 16h05

Investir em saúde na bolsa de valores tem se tornado uma opção, no mínimo, mais recorrente entre os investidores. Até agosto de 2021, foram identificados 587 fundos que reportaram posição em ações de empresas do setor, em um investimento total de 9,8 bilhões de dólares (52 bilhões de reais). Para efeito de comparação, os primeiros oito meses de 2020 registraram 243 fundos com posição em saúde, em um investimento total de 8,1 bilhões de dólares (42,9 bilhões de reais), segundo levantamento da MZ Group. Um crescimento de quase 10 bilhões de reais e o número de fundos mais que dobrou de um ano para o outro. Outra diferença notável é a origem desses investimentos. Em 2020, as gestoras nacionais somavam apenas 5% do total, e os fundos norte-americanos representavam 43,8% do todo. Em 2021, a proporção se inverteu, e 51% dos fundos identificados são brasileiros, contra 23% dos norte-americanos. Importante lembrar que o número de empresas desse setor na bolsa subiu de 11 para 18 no período, o que inclui a Rede D’or, que levantou 11,4 bilhões em IPO, o maior daquele ano.

Publicidade