Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças

Brasil volta ao mapa da fome e começa a chegar ajuda global

Accenture Global doa R$ 11 milhões para combater fome no país

Por Josette Goulart Atualizado em 30 abr 2021, 19h19 - Publicado em 30 abr 2021, 12h00

Deu na capa do New York Times: o Brasil passa fome. O empreendedor social Edu Lyra reforça: o Brasil voltou ao mapa da fome no mundo, com 19 milhões de pessoas passando fome e 119 milhões em insegurança alimentar. “A nova fase do auxílio emergencial demorou demais e, quando chegou, veio menos e num momento em que a inflação subiu e o poder de compra diminuiu muito. Então tem que ter a filantropia junto”.

Mesmo depois de ter ultrapassado o volume arrecadado no ano passado para distribuição de cestas básicas com a sua campanha “Corona no paredão, fome não”, Edu Lyra viu que não era suficiente. Conversou com Leonardo Framil, presidente da Accenture no Brasil e América Latina que ajuda na gestão da Gerando Falcões, e disse que muita gente estava ficando para trás nas favelas. A pauta subiu, então, para a matriz da Accenture e hoje a empresa anunciou uma doação de 11 milhões de reais para que a Gerando Falcões distribua em comida, por meio de cartões de ajuda, para as famílias carentes brasileiras. É a primeira vez que a empresa globalmente faz este tipo de ação para o Brasil.

Framil disse ao Radar Econômico que a doação é fruto de um movimento que mobilizou os funcionários na Accenture no Brasil, que se engajaram fortemente para a campanha na fase match fund em que cada real doado por um funcionário era acrescido de outro da filial brasileira e que arrecadou perto de 1,5 milhão de reais. “O Brasil estava na capa do New York Times no domingo passado. O mundo percebe. Principalmente no momento em que outros países começam a se recuperar”. A empresa global também fez uma doação de mais 3 milhões de dólares para ser usada em compra de vacinas e outros projetos sociais em favelas. 

A Gerando Falcões arrecadou até agora 39 milhões de reais e precisa chegar a 50 milhões de reais, o dobro do que foi arrecadado no ano passado durante a primeira onda. “É o dobro do problema que temos neste ano, precisamos arrecadar pelo menos o dobro”, diz Lira. Qualquer doação pode ser feita pelo site https://gerandofalcoes.com/coronanoparedao

Continua após a publicidade
Publicidade