Alimentos saudáveis, só que não

Molhos para saladas, suco industrializado e produtos sem glúten são alguns exemplos de comidas vendidas como saudáveis, mas que podem ser recheadas de açúcar e gordura

Está tentando perder alguns quilos e, mesmo seguindo uma alimentação balanceada, não vê resultados na balança? É melhor rever o seu cardápio. Alguns alimentos considerados saudáveis podem, na verdade, sabotar a dieta.

“Não é porque está escrito no pacote que é saudável, light ou sem gordura que o produto realmente é uma boa opção para a dieta. Ele pode ter menos calorias, por exemplo, mas ser cheio de sódio ou gordura”, diz Celso Cukier, nutrólogo do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O ideal é, em vez de ceder ao apelo comercial, ler o rótulo e a composição dos alimentos antes de colocar um produto no carrinho.

Leia também:

Quer emagrecer? Estudo descobre o melhor dia da semana para se pesar

Nove maneiras de acelerar o metabolismo – e emagrecer

Um exemplo de comida da moda que pode não oferecer benefício nenhum à dieta são os alimentos sem glúten, fabricados para celíacos, que de fato não podem ingerir a proteína. “Não vai fazer diferença nenhuma para quem não tem doença celíaca, uma condição que afeta 1% da população”, afirma Cintia Cercato, endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Confira nove produtos que têm fama de saudáveis, mas na verdade não são.