Tarja do tema UFC

Lutas

UFC: saiba como o MMA nocauteou o boxe em oito golpes

'Nobre arte' de Ali, Foreman e Tyson agora parece um esporte do passado - e o antigo 'vale-tudo' (hoje com regras, ídolos e muito marketing) tomou seu lugar

Davi Correia

No século XX, o boxe transformou-se no esporte de contato mais bem sucedido e popular da história. Desde seu início, no século XVIII, ele evoluiu e sofreu várias mudanças até chegar à sua versão atual. Os pugilistas, porém, não têm mais o título incontestável de campeões das lutas. O boxe está perdendo cada vez mais espaço para um fenômeno relativamente recente do esporte, o MMA. E o maior evento de Artes Marciais Mistas do planeta é o Ultimate Fighting Championship, ou simplesmente UFC. O ringue, com oito cantos, foi desenhado para deixar os lutadores com mais espaço para as lutas. Os atletas podem usar as mãos e aplicar golpes de jiu-jitsu. Muitos podem falar que a modalidade é uma espécie de vale-tudo, mas isso já ficou no passado: agora, a modalidade tem regras e acompanhamento médico obrigatório para que o esporte apague o estigma negativo. Resultado: se antes o mundo todo acompanhava os combates que valiam o cinturão dos pesos-pesados no boxe, hoje a expectativa é pelos duelos entre atletas como Anderson Silva e Vitor Belfort no octógono. A seguir, os oito golpes certeiros que fizeram o boxe ir à lona e pendurar as luvas na preferência dos fãs de lutas, que agora só querem saber do fenômeno UFC:

Os oito motivos para o UFC fazer o boxe pendurar as luvas

1 de 8

Ídolos, agora, só no octógono

Anderson Silva depois de vencer Forrest Griffin no UFC 101, em 2009 (Foto: Jon Kopaloff/Getty)

O boxe sempre será lembrado no mundo todo por nomes como Muhammad Ali, George Foreman, Mike Tyson e Evander Holyfield - atletas carismáticos e marcantes, que viraram lendas do esporte. O Brasil também tem um deles: Éder Jofre, campeão mundial em duas categorias diferentes. Mas a escassez de grandes ídolos fez com que o público perdesse pouco a pouco a identificação com o esporte. Atualmente, não existe um só nome forte que represente o boxe internacionalmente. No UFC, a história é diferente: Anderson Silva tor

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados