Porto Maravilha

Prefeitura do Rio apresenta projeto do Museu do Amanhã

Com inauguração está prevista para o primeiro semestre de 2014, equipamento é uma das iniciativas do projeto de revitalização da Zona Portuária até 2016

O Museu do Amanhã será inaugurado no primeiro semestre de 2014, no Rio de Janeiro

O Museu do Amanhã será inaugurado no primeiro semestre de 2014, no Rio de Janeiro (Rafael Lemos/VEJA)

A prefeitura do Rio de Janeiro apresentou, nesta quarta-feira, conteúdo e design do Museu do Amanhã, um dos principais equipamentos culturais a serem erguidos na Zona Portuária até 2016. Orçado em 130 milhões de reais, o museu faz parte do projeto Porto Maravilha e tem inauguração prevista para o primeiro semestre de 2014.

Idealizador do projeto, o arquiteto espanhol Santiago Calatrava participou do evento, no Palácio da Cidade, e se disse orgulhoso por desenvolvê-lo em uma região que está sendo revitalizada. "Ocupar o Píer Mauá em um momento em que se revitaliza aquela região é fantástico. Posso dizer que o Museu do Amanhã já está provocando uma radiação incrivelmente positiva sobre o futuro da região portuária do Rio", afirmou Calatrava.

Ainda segundo Calatrava, a ideia é que o museu seja uma lição de sustentabilidade. "Todos os materiais que estamos utilizando são reciclados, sem dano algum ao meio ambiente. Será um espaço que, sem dúvida, vai aproximar seus visitantes da natureza. Além do edifício, todo o seu entorno também vai destacar os elementos naturais da cidade", explicou.

O Museu do Amanhã, que é fruto de uma iniciativa da prefeitura do Rio e da Fundação Roberto Marinho, terá 12 metros quadrados de área. O restante do terreno, de 30 mil metros quadrados, contará ainda com jardim, espelho d'água, ciclovia e área de lazer. O projeto prevê o aproveitamento dos recursos naturais do local, como a água da Baía de Guanabara, a energia solar e ventilação natural. O espaço terá dois níveis conectados por rampas. Seis mil metros quadrados serão dedicados à área expositiva. No térreo, haverá loja, auditório, salas de exposições temporárias, salas de pesquisa e ações educativas e um restaurante, além das áreas administrativas do museu. No andar superior, ficarão as salas das exposições permanentes, um belvedere para contemplação da vista e um café.

"É um retorno ao Rio antigo com uma proposta concreta de um futuro bem melhor. A região portuária ficou abandonada durante muito tempo. Graças ao projeto da prefeitura, que firmou a maior Parceria Público-Privada do país, o Porto Maravilha está provendo o renascimento daquela região. O Museu do Amanhã será um novo ícone da cidade, assim como já são o Maracanã, os Arcos da Lapa, o Cristo Redentor e nossos monumentos naturais. Em dois meses sediaremos a Rio+ 20 e a proposta de conteúdo do Museu do Amanhã nos apresenta esse desafio de pensar o que devemos fazer em relação ao futuro de nossa cidade e do mundo", disse o prefeito Eduardo Paes.

O museu será dividido em quatro grandes áreas: Cosmos, Contexto, Antropoceno e Amanhã. O visitante percorrerá ambientes audiovisuais, instalações interativas e jogos. A ideia é examinar o passado, entender as várias tendências do presente e simular cenários possíveis para os próximos 50 anos. O objetivo é estimular a reflexão sobre seus impactos e sua responsabilidade no futuro da humanidade e do planeta.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados