Moro diz que Lula quer transformar interrogatório em ato político

Juiz proibiu Lula de gravar depoimento e recusou mudar ângulo do vídeo principal. Interrogatório acontecerá nesta quarta-feira

O juiz federal Sergio Moro rejeitou nesta segunda-feira o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para fazer uma gravação autônoma e para mudar o ângulo do vídeo do interrogatório do petista, que acontecerá nesta quarta-feira. No despacho, o magistrado escreveu que Lula quer transformar o depoimento em um “evento político-partidário”, cujo propósito é estranho e proibido à ação penal em que é réu por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP).

Veja também

A defesa do ex-presidente alegava que o foco da câmera exclusivo no acusado — que é padrão nas oitivas de réus e testemunhas da Operação Lava Jato — geraria uma “imagem negativa” e “inferiorizada” de Lula, violando, assim, no seu entendimento, a presunção de inocência. Por isso, os advogados pediam que a câmera registrasse o que se passava em todo o recinto da audiência e não apenas o depoimento. Em petição na última sexta-feira, sugeriram até que as imagens fossem feitas pelo fotógrafo oficial de Lula, Ricardo Stuckert, com um equipamento profissional.

“Não se ignora que o acusado Luiz Inácio Lula da Silva e sua Defesa pretendem transformar um ato normal do processo penal, o interrogatório, oportunidade que o acusado tem para se defender, em um evento político-partidário, tendo, por exemplo, convocado militantes partidários para manifestações de apoio ao ex-presidente na referida data e nessa cidade [Curitiba], como se algo além do interrogatório fosse acontecer”, escreveu Sergio Moro na decisão de hoje. O PT e movimentos pró-Lula organizaram para esta semana carreatas para a capital paranaense, onde pretendem instalar acampamentos e fazer manifestações. “A gravação pela parte da audiência com propósitos político-partidários não pode ser permitida pois se trata de finalidade proibida para o processo penal”, completou o juiz. 

O Ministério Público Federal e a defesa do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, que também é réu no processo, pronunciaram-se contrariamente à mudança na forma de gravação do interrogatório. Acatando os argumentos da procuradoria, Moro explicou que o foco no depoente se dá porque se trata de “elemento probatório relevante” que será avaliado por outras instâncias da Justiça. “Não há qualquer intenção de prejudicar o acusado ou sugerir a sua culpa com esse foco, tanto assim que o depoimento das testemunhas, que não sofrem qualquer acusação, é registrado da mesma forma”, disse o juiz.

Apesar da constatação, Moro resolveu ceder em parte ao pedido do ex-presidente e, “para evitar qualquer afirmação equivocada de que se pretende esconder algo”, definiu que será usada uma outra câmera para fazer imagens laterais e com o ângulo aberto da audiência. O equipamento será operado por um servidor do tribunal.

No despacho, o juiz da Lava Jato também proibiu os procuradores e advogados, que participarão da sessão, de entrar na sala com aparelhos celulares. Segundo ele, o objetivo é evitar vazamentos à imprensa, como aconteceu com o depoimento de Marcelo Odebrecht no dia 10 de abril.

No último sábado, o juiz fez um apelo para que os seus seguidores não se manifestem em frente ao prédio da Justiça Federal de Curitiba. “Não venham. Não precisa. Deixem a Justiça fazer o seu trabalho. Tudo vai ocorrer com normalidade”, disse em vídeo publicado no Facebook. Enquanto Moro busca arrefecer o ânimo dos manifestantes pró-Lava Jato, Lula e os seus apoiadores planejam dar ao interrogatório ares de embate político. Os movimentos prepararam até uma programação de atividades para quarta-feira, que inclui palestras, shows e um comício do ex-presidente após o interrogatório.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Manoel Schepp

    Exatamente o povo o elegeu “o povo”!
    A direita sem coração só faz críticas e odeia mas não tem votos para eleger um presidente legítimo!

    Curtir

  2. Em qqr país sério o juiz sergio moro ja teria sido substituido por imparcialidade e abuso em suas ações que visam aer midiáticas
    A condução coersitiva visando desmoralizar o presidente Lula, os grampos ilegais e ainda vazados diretamente para a rede globo e agora igual um chefe de torcida aparece nas redes e no fantastico (claro !) para se dirigir em específico ao coxinhas e talve já justificando uma baixa movimentação já que não possuem razão nem alma,
    Isto não é papel de juiz
    O povo não vai cair nessa
    Veja as pesquisas.

    Curtir

  3. Lila seu ladrão a cadeia o espera kkkkk Bolsonaro 2018

    Curtir

  4. O Lula já era pra ter sido preso há muito tempo e mantido preso, incomunicável igual traficante, por que
    são um risco à paz social. Só quem faz parte da gangue do Lula e do PT do Dirceu é que defendem a inocência dessas figuras.

    Curtir

  5. Que a justiça seja feita espero em Deus que seja justa pena e que cada um pague o que deve. Por causa desses loucos por dinheiro quantas pessoas morreram em hospitais, nas ruas pela violência, nas escolas por faltas de segurança etc… Se fosse continuar seria uma lista tanto, vê se vale apena povo brasileiro defender aqueles que ti roubou.

    Curtir

  6. Da onde vem tanto dinheiro para pagar esses advogados tão caro?

    Curtir

  7. Amyr Feitosa

    se há provas de sobra contra este ladrão cínico por não o condenam? não dá para entender.

    Curtir