Clique e assine a partir de 8,90/mês

‘Vi planos de 90, de 2010 e agora de 2020. Estou ansioso’, diz Semenzato

Conhecido como o 'rei das franquias' e por integrar o time do 'Shark Tank Brasil', o empresário diz estar 'esperançoso' com o país

Por Machado da Costa, Da Redação - Atualizado em 5 mar 2020, 12h27 - Publicado em 18 fev 2020, 14h42

Para empreender num país como o Brasil, precisa ser um pouco de tudo. Ousado, inteligente, versátil. Mas não é preciso ser rico, garante José Carlos Semenzato, um ex-vendedor de coxinhas que criou fortuna com cursos de informática e redes de franquias. Desde o ano passado, ele integra o grupo de investidores do reality show Shark Tank Brasil. Segundo Semenzato, ele está lá justamente para mostrar que é possível ser bem-sucedido a partir de esforço, foco no trabalho e ética.

Com a fama, o empresário diz que muita coisa mudou sem sua vida. Suas empresas, como Espaçolaser, OdontoCompany, Oakberry e L’Entrecóte de Paris já eram reconhecidas pelo grande público — afinal, faturou mais de 1,3 bilhão de reais em 2019. Mas seu rosto não era até ir para a frente das câmeras. Pessoas passaram a reconhecê-lo, a abordá-lo e a pedir autógrafos. Apesar disso, diz que não tem medo de andar nas ruas por ser um bilionário reconhecível. “Não tenho paranoia. Temos que levar uma vida normal”, comenta.

Ele está otimista com o Brasil. Apesar das caneladas verbais do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, diz perceber um clima de esperança entre os empresários. “Vi os planos de 90, de 2010 e agora de 2020. Estou ansioso”, diz.

Semenzato visitou os estúdios de VEJA no fim de janeiro. Assista na íntegra sua entrevista ao editor Machado da Costa.

Continua após a publicidade
Publicidade