Clique e assine a partir de 9,90/mês

O pop agridoce do Scatolove

O duo brasileiro foi o convidado no VEJA Música dessa semana

Por Da Redação - Atualizado em 5 Dec 2018, 20h40 - Publicado em 5 Oct 2018, 10h00

O duo formado por Léo Ramos e Isa Salles surgiu quase por acaso. O Supercombo, grupo onde Ramos atua como uma espécie de coringa (compõe e toca quase todos os instrumentos) precisava de uma cantora para interpretar a música Lentes – função que em disco era executada por Negra Li. O locutor de uma rádio rock de São Paulo sugeriu então Isa, que fazia participações nos shows do cantor paulistano Supla. A palinha virou romance. Do namoro, surgiu a vontade de criar um projeto paralelo. Nascia o Scatolove.

As primeiras incursões musicais do duo foram através de covers despretensiosas. Caso de Sol da Manhã, do Supercombo, banda de Ramos, e 7h Element, do russo Vitas. Somente no final do ano passado que eles decidiram investir num material próprio. A primeira canção foi O Tiro, de melodia singela que fala sobre depressão. As letras do Scatolove, aliás, falam muito de tristeza e inadequação. Mas tudo de uma maneira leve, enriquecida pelos vocais melodiosos de Isa – que participou recentemente do programa de TV The Voice. Em abril deste ano, o Scatolove lançou, através das plataformas virtuais, o álbum Lei de Muffin. São doze canções de apelo pop, com um casamento perfeito entre as vozes de Ramos e Isa. No VEJA Música, a dupla fala de como surgiu o Scatolove, quais suas pretensões artísticas e de como Isa analisa sua participação em The Voice.

Publicidade