Clique e assine a partir de 8,90/mês

A indústria de alimentos entra de vez no jogo do consumo saudável

A Anvisa aprovou na quarta-feira, sete de outubro, uma mudança nos rótulos dos alimentos comercializados no Brasil

Por Da Redação - 9 out 2020, 19h29

Em quase um ano de pandemia, poucos assuntos desviaram a atenção dos médicos da Covid-19 como um deflagrado nesta semana. A partir de agora, as embalagens terão de contar com um selo visível em forma de lupa com um alerta sobre a presença exagerada de gordura, de sal ou de açúcar, sinalizando que um produto faz mal à saúde.

A ação é resultado de uma forte e longa pressão do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) que contou com o apoio de especialistas da área da saúde. Foram seis anos de discussões até se chegar ao formato estabelecido. Apenas nos últimos meses, foram dois adiamentos das votações e um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal para garantir a eleição. A necessidade de uma mudança era clara: segundo pesquisa, apenas 25% dos brasileiros entendem perfeitamente o que está escrito nas embalagens de alimentos.

E houve uma movimentação para diminuir o que foi proposto pela Anvisa na primeira proposta das novas regras. Na mudança desta quarta, o que foi estabelecido como “excesso” está 50% acima do projeto original da agência, e isso poderá livrar alimentos com altos teores de certas substâncias da rotulação de alerta.

Publicidade