Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Marina Silva: ‘O presidente Bolsonaro faz apologia da ditadura’

Ex-senadora evita se colocar de volta à disputa presidencial e cobra quem não está nos extremos do espectro político para construção de alternativa

Apresentado por Atualizado em 5 dez 2019, 13h22 - Publicado em 3 dez 2019, 13h12

Ex-senadora e candidata à presidência da República nas últimas três eleições, Marina Silva afirmou que o presidente da República Jair Bolsonaro adotou como agenda de seu governo fazer ” a apologia da ditadura e de ditadores”. Segundo a fundadora da Rede Sustentabilidade, as alusões que o ministro da Economia Paulo Guedes fez ao AI5 na semana passada é um sinal de que mesmo as pessoas encarregadas de dar credibilidade ao governo se contaminaram por esse discurso. “Quando fala que eventuais manifestações trazem o risco do AI5 voltar, o Posto Ipiranga do governo quer incendiar a democracia”.

A ex-senadora vê a divisão entre lulismo e bolsonarismo como o “cúmulo do empobrecimento” da polarização que marca a história do país. “Não há uma disputa em torno de projeto ou concepção de governo”, afirma. “Isso vai se espraiando e de repente a gente começa a ver a polarização entre amigos e familiares. As pessoas não conseguem perceber que isso foi engendrado porque beneficia os que têm a lógica do poder pelo poder e acabou nos cindindo. A gente tem que se insurgir contra isso”.

Em entrevista ao diretor de redação de VEJA Maurício Lima, no programa Páginas Amarelas em Vídeo, a ex-senadora evita, entretanto, se colocar de volta à disputa pela Presidência da República em 2022. “Nesse momento tem que ter um esforço dos que não estão nos extremos, nem do lulismo e do bolsonarismo, para tentar construir algo que faça com que o Brasil recupere a credibilidade do processo político como a única forma de resolver os nossos problemas. E isso não vai ser em torno de projeto de poder, mas em torno de uma visão de país que considere a preservação ambiental, acabar com as iniquidades sociais e o respeito à diversidade cultural e aos direitos humanos.”

Continua após a publicidade

Ministra do Meio Ambiente entre 2003 e 2008, no governo Lula, Marina Silva sobe o tom para criticar as políticas adotadas pela gestão de Bolsonaro — especialmente no setor. “É a primeira vez que temos um ministro que é antiambientalista e trabalha dioturnamente para eliminar o que existia”, afirma. “Não tem como opor meio ambiente e desenvolvimento. As duas coisas fazem parte da mesma equação. Setenta por cento do PIB da América do Sul depende das chuvas produzidas pela Amazônia. A Embrapa já desenvolveu tecnologia que faz com que a gente triplique a nossa produção sem precisar derrubar mais uma árvore”, acrescenta.

Evangélica, Marina também se incomoda com o que chama de “instrumentalização da fé” na política. “É muito triste quando ouço as pessoas dizendo que há a bancada da bala, da Bíblia e do boi. O que é que tem a ver a Bíblia com a bala? No lançamento do partido do presidente tinha uma arte feita de bala. O número é 38, que também evoca uma arma de fogo, e ficam misturando isso com Jesus Cristo. As pessoas dizem ‘conheceis a verdade a verdade vos libertará’ e, de forma leviana, que quem derramou o petróleo foi o Greenpeace e que quem colocou fogo na Amazônia foram as ONGs. Onde está a verdade que liberta em tudo isso?”, questiona.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.