Clique e assine com até 92% de desconto

Plano de vacinação nos EUA prevê primeiras doses em novembro

Os documentos preveem o início da campanha de imunização em novembro, com uma aplicação mais massiva em 2021

Por Da Redação Atualizado em 2 set 2020, 20h31 - Publicado em 2 set 2020, 20h30

Nesta quarta-feira, 2 de setembro, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano, ou CDC, notificou publicamente os oficiais de saúde dos Estados Unidos para que estejam preparados para uma possível distribuição de vacina já no início de novembro. Apesar de animador, o aviso despertou o temor de que a corrida pelo antígeno está ganhando ainda mais tons políticos e deixando o rigor científico de lado, uma vez que a eleição presidencial do país está marcada também para o início de novembro.

Um estudo conduzido pela OMS mostrou que o uso de corticoides, utilizados como anti-inflamatórios, reduziu em um terço a mortalidade da Covid-19. Os pesquisadores aplicaram os esteroides em mais de 1.700 pacientes. A dexametasona foi o remédio com o melhor resultado. Entre os 1.282 pacientes testados com ela, foi registrada uma queda de 36% no número de mortes. Esses medicamentos controlam a resposta imunológica do corpo e evitam a reação exagerada à infecção, que é causa de parte dos óbitos.

Nas últimas 24 horas, foram 46.934 novos casos de coronavírus e 1.184 mortes causadas pela doença, de acordo com dados do Ministério da Saúde. No total, o país acumula agora 3.997.865 infectados, 123.780 óbitos e 3.210.405 recuperados. A média móvel dos últimos sete dias é de 40.101 casos e de 874 mortes.

Leia mais sobre a pandemia de coronavírus: http://abr.ai/coronavirus-ultimas

Continua após a publicidade
Publicidade