Clique e assine com 88% de desconto

MP-SP investigará Alckmin em caso de suspeita de caixa 2

Segundo delatores da Odebrecht, tucano recebeu 10 milhões em propina para campanhas de 2010 e 2014. Inquérito apura o caso

Por Da Redação - Atualizado em 10 dez 2018, 14h10 - Publicado em 20 abr 2018, 18h35

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) será investigado por improbidade administrativa. O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) abriu um inquérito para averiguar suposto caixa 2 em campanhas do político.

Alckmin é acusado, por três delatores da Odebrecht, de ter recebido cerca de 10,3 milhões de reais em propina através do grupo. Em troca, a empreiteira recebeu vantagens indevidas.

De acordo os depoimentos, Alckmin recebeu os valores através de seu cunhado, Adhemar César Ribeiro, com a finalidade de custear suas últimas duas campanhas ao Governo de São Paulo, em 2010 (2 milhões) e 2014 (8,3 milhões de reais). O então coordenador financeiro da postulação, Marcos Monteiro, foi outro intermediário dos pagamentos. Os relatos foram feitos pelos ex-executivos da empresa Benedicto Júnior, Carlos Guedes e Arnaldo Cumplido.

Publicidade