Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Guerra civil cria ‘cidade’ com um milhão de refugiados em Uganda

Uganda recebe 3 mil novos refugiados do Sudão do Sul todos os dias. Acompanhe o 'Em Pauta'

Por Da Redação - Atualizado em 10 dez 2018, 17h47 - Publicado em 22 ago 2017, 21h17

Nos últimos anos, Uganda é a porta de entrada para as vítimas da crise humanitária que mais cresce em todo o mundo. O Sudão do Sul, país mais jovem do planeta, teve pouco tempo de aproveitar a paz. Depois de décadas de guerra civil, em 2011 a nação conseguiu a independência do Sudão. Mas em 2013, o presidente do País acusou o vice de tentar um golpe. Desde então, o conflito entre eles virou uma guerra sem precedentes entre as duas maiores etnias da região: os dinkas e os nuers.

A guerra se espalho por todo o Sudão do Sul e mais de 1,7 milhão de sudaneses foram obrigados a buscar refúgio em países vizinhos. Neste mês, a vizinha Uganda chegou a marca de um milhão de sudaneses refugiados em seu território.

 

Publicidade